Vamos evitar que a Hungria se torne “país imigrante” – Governo húngaro

por LMn

O atual governo da Hungria, enquanto estiver no poder, “fará cumprir a vontade do povo húngaro e impedirá a Hungria de se tornar um país de imigrantes”, disse Zoltán Kovács na terça-feira.

Referindo-se à decisão do Tribunal Europeu de que a criminalização da ajuda dada aos migrantes ao apresentar o seu pedido de asilo viola a legislação da UE, o Secretário de Estado das Comunicações e Relações Internacionais disse no Facebook que a lei “Stop Soros” aprovada em 2018, que tornou punível a organização e o financiamento da migração ilegal, tinha conseguido evitar o afluxo maciço de migrantes.

Referindo-se às consultas públicas realizadas na Hungria, Kovács afirmou que a lei tinha o apoio firme do povo húngaro.

Disse que a “esquerda pró-imigração” tinha atacado a lei e, sob pressão das fundações da Soros Open Society, a Comissão Europeia lançou um processo por infracção contra a Hungria.

Kovács disse que a Hungria respeita a decisão do Tribunal de Justiça Europeu relativamente ao pacote de leis Stop Soros, mas a Hungria reserva-se o direito de tomar medidas contra ONGs financiadas por estrangeiros, incluindo quaisquer atividades de organizações financiadas por George Soros que procurem influência política ou promovam a migração.

Kovács disse que a Hungria e a lei húngara Stop Soros ainda apresentavam obstáculos aos planos pró-migração, e insistiu que a UE ainda queria que a Hungria desse rédea solta aos migrantes e às organizações Soros “gerindo a migração”.

Por outro lado, a Ministra da Justiça afirmou: “Vamos continuar a proteger as fronteiras da Hungria, Europa”.

A Hungria continuará a proteger as suas próprias fronteiras e as fronteiras da Europa, disse a ministra da justiça na terça-feira, em resposta à decisão do Tribunal Europeu no início do dia em que a criminalização da ajuda dada ao apresentar o seu pedido de asilo viola a legislação da UE.

No seu post no Facebook, sobre a decisão do Tribunal de Justiça da UE que manteve a decisão da Comissão Europeia relativamente a certos elementos do pacote legislativo “Stop Soros”, Judit Varga disse lamentar que o tribunal da UE não tenha levado em conta os argumentos da Hungria.

“Todos sabemos que para a burocracia de Bruxelas, o espinho na carne foi o facto de termos criminalizado a promoção e facilitação da imigração ilegal, uma vez que não queremos que as ONG estrangeiras organizem a migração ilegal para a Europa”, disse ela.

“No acórdão de hoje, o Tribunal declarou o que nunca teríamos pensado: A Hungria deve praticamente apoiar o tráfico de seres humanos”, disse Varga.

“O que acontece a seguir? Serão os Estados-membros punidos simplesmente por protegerem o continente da migração em massa? Já não temos quaisquer ilusões, mas uma coisa é certa: continuaremos a defender a Europa. Quer a bolha de Bruxelas goste ou não”, disse a ministra da justiça.

Fonte: MTI/Hungary Today

Foto de Zoltán Kovács. Crédito da foto: Tibor Illyés/MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade