Uma pitada de português – para aprendentes da língua (Egy csipetnyi portugál – nyelvtanulóknak) – 11

por Eszter Gelencsér

É tempo de Carnaval! – Busójárás na Hungria e Entrudo Chocalheiro em Portugal

Dois artigos com linguagem adaptada ao nível A2-B1 com vocabulário

Két újságcikk könnyített olvasmányként (A2-B1-es szinten) szószedettel

Gostou do artigo sobre os Caretos de Busó de ontem? Aqui tem a versão adaptada ao nível A2-B1.

Tetszett a tegnapi cikk a Busójárásról? Olvassa el könnyített olvasmányként A2-B1-es szinten.

Caretos de Busó: o Carnaval de Mohács na Hungria

Os Caretos de Busó (Busójárás) são reconhecidos desde 2009 pela UNESCO, como Património Cultural e Imaterial da Humanidade e integram a lista do património imaterial da Hungria, designada por HUNGARIKUM.

O festival Busójárás celebra o fim do inverno com desfiles de fantasias assustadoras e muito fogo!

Mohács fica a 210 km da capital húngara, uma pequena cidade com cerca de 17 mil habitantes, que é famosa pelos desfiles carnavalescos e também pela batalha de Mohács, que ocorreu em 1526 entre o exército húngaro e o exército otomano.

O Busójárás é uma celebração dos Šokci (etnia de eslavos meridionais) habitantes de Mohács, que ocorre no final do inverno.

Em Mohács ainda hoje se organiza e se prepara para a celebração, que dura seis dias. Tem início na quinta-feira antes do Carnaval e continua até terça-feira Gorda, quando ocorre a maior celebração.

Durante todos os dias, os homens vestem-se com peles de animais e ostentam máscaras de madeira, e estão ornamentados com ferramentas e artefactos rurais. São os Busós (pronuncia-se buchôs). Já as mulheres usam vestidos típicos, com lenços a tapar o rosto, armando-se com bengalas e pás de madeira.

E então começa a folia! Os caretos mascarados desfilam pelas ruas provocando as pessoas e vale (quase!!) tudo: abraços, bengaladas e apalpões nos rabos. As mulheres provocam os homens e vice-versa. Carros e carroças alegóricos adornados complementam o cenário da festa, que recebem grupos de Busós (caretos), vindos de outros países.

Para animar os festejos, não falta música, danças típicas, comidas, vinho e o famoso “Pálinkás csörögefánk” de Mohács.

O Carnaval de Mohács termina, com a queima do “entrudo”. No último dia, um caixão a simbolizar o inverno é construído e trazido em desfile até a praça principal de Mohács, onde está uma enorme fogueira. O caixão logo se consome entre as chamas, reduzindo-se a cinzas.

Termina assim o Busójárás, mas agora vamos ter de aguardar mais uns tempos, pois este ano, infelizmente devido à pandemia, foi adiado.

Bem-vinda primavera!

Fonte consultada: Hungarikum; LMN

 

Vocabulário – szószedet

 

o careto farsangi maskarába
öltözött figura
a bengala a bot
Património Cultural e
Imaterial da Humanidade
Szellemi világörökség a pá a lapát
o desfile a felvonulás a folia a mulatság
a batalha a csata os apalpões tapogatások
o exército a hadsereg a carroça a szekér
a celebração az ünnepség adornar kidíszít
terça-feira Gorda „kövér kedd”, azaz húshagyókedd a queima égetés
peles de animais állatszőrök o entrudo a farsang
ostentar visel, feltüntet o caixão a koporsó
a ferramenta a szerszám a fogueira a máglya
o artefacto a kézműves termék a cinza a hamu
o lenço a kendő adiar elhalaszt

 

E sabia que existe uma tradição em Portugal, o Carnaval de Podence, que surpreende pela sua semelhança com os Caretos de Busó?

O Entrudo Chocalheiro

O ancestral Carnaval da aldeia de Podence é um dos eventos tradicionais mais importantes do norte de Portugal. Foi classificada pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade pela forte participação da comunidade e pela importância que mantém atualmente nos eventos culturais da região.

Um dos mais tradicionais e genuínos carnavais de Portugal é o “Entrudo Chocalheiro”, em que os caretos animam a pequena aldeia transmontana de Podence.

Podence (perto da albufeira da barragem do Azibo) fica no concelho de Macedo de Cavaleiros, aproximadamente 30km a sul de Bragança.

A origem desta tradição perde-se no tempo, mas remontará à época pré-romana, e é partilhada  noutros locais em Trás-os-Montes e na vizinha Espanha.

Nestes dias os homens vestem trajes coloridos, com franjas de lã de cores vivas (quase sempre amarelo, verde e vermelho) que lhes cobrem todo o corpo. As máscaras dos Caretos de Podence são tradicionalmente feitas de metal, de couro ou de madeira. Destacam-se o nariz pontiagudo e as cores vivas.

Nos dias de Carnaval, os Caretos circulam pelas ruas da aldeia, normalmente em grupos, em busca de raparigas para chocalhar. O chocalhar consiste numa dança em que o careto agarra a rapariga e abana a anca, batendo nela com os chocalhos que traz à cintura. Os homens que não se mascaram, abrem as adegas para matar a sede aos caretos.

Entre os momentos mais importantes do Carnaval de Podence, destacam-se os casamentos a fingir, no Domingo Gordo, um momento de humor e sem hipótese de reclamação por parte dos escolhidos e, na 3ª feira de Carnaval, o desfile e a cerimónia da Queima do Entrudo, que anuncia o final da festa.

Em 1985, os Caretos de Podence organizaram-se e transformaram o grupo numa associação cultural, com o objetivo principal de preservar este evento tradicional.

Fontes: http://centrolenguaportuguesacc.blogspot.com/2017/02/ e visitportugal.com/pt

 

Vocabulário – szószedet

 

ancestral ősi agarrar megfog, megragad
genuíno eredeti abanar megráz, riszál
„Entrudo Chocalheiro” „Kolompos farsang” a anca a csípő
animar felvidít, felpezsdít, lelkesít o chocalho a kolomp
o concelho a járás, közigazgatási egység a cintura a derék
remontar a visszanyúlik vhova időben casamento a fingir színlelt házasság
a franja a rojt escolhido kiválasztott
cobrir befed a associação az egyesület
pontiagudo hegyes preservar megőriz

 

http://www.caretosdepodence.pt/traje.html

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade