Teqball: invenção húngara na mira das Olimpíadas

por LMn

Mais um marco importante para esta atividade desportiva de invenção húngara, a Federação Internacional de Teqball (FITEQ) foi aceite como membro de pleno direito da Associação Global de Federações Desportivas Internacionais (GAISF) no domingo. O Teqball está prestes a tornar-se um desporto olímpico a partir de 2028.

A Assembleia Geral do GAISF votou a favor da candidatura da FITEQ, após aprovação unânime do Conselho do GAISF.

A FITEQ junta-se assim a 95 outros membros da família GAISF, que atua como um grupo guarda-chuva das Federações Desportivas Internacionais, incluindo organizações desportivas olímpicas e não olímpicas.

É um desporto que mistura futebol com ténis de mesa e que está a conquistar diversos craques. Entretanto, não é futebol e nem ténis de mesa.

Tudo começou em 2014 quando dois cidadãos húngaros criaram este desporto que se inspira no futebol, juntando-lhe um toque de ténis de mesa.

O Teqball desenvolve-se numa superfície curva (teqboard) e tem como objetivo aprimorar a técnica, a concentração e a resistência dos praticantes. Foi inventado pelo ex-jogador de futebol profissional Gábor Borsányi, o cientista da computação Viktor Huszár e o empresário bilionário György Gattyán, que fez uma parte considerável de sua fortuna graças à sua empresa Docler, que oferece serviços de chat para adultos e câmeras de sexo.

Esta atividade inovadora foi oficialmente apresentada em 2014, enquanto o primeiro Campeonato Mundial foi realizado três anos depois, em Budapeste. Desde então, o teqball conta com vários embaixadores de alto nível entre os seus apoiantes, e sua publicidade e reconhecimento aumentam ano após ano.

Em resposta à Forbes, a FITEQ agora afirma que a associação, fundada em 2017, se tornou o membro mais jovem do GAISF e a se tornar um aspirante olímpico.

“Esta decisão também é um sucesso da diplomacia desportiva húngara, da qual todos os húngaros se  podem orgulhar, já que esperamos que todos possamos torcer nos Jogos Olímpicos de verão de 2028 e confiar nos jogadores de teqball húngaros, para ganhar uma medalha”, disse Gattyán , que agora é o vice-presidente da Federação.

Imagem: Márton Mónus/MTI

Hungary Today

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade