Szijjártó: Hungria oferece 37 milhões de euros de ajuda à Ucrânia

por LMn | MTI

A Hungria está a oferecer 37 milhões de euros em ajuda à Ucrânia, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comércio Péter Szijjártó em Varsóvia na quinta-feira.

Falando numa conferência de doadores organizada pela Polónia e Suécia para ajudar a Ucrânia, o ministro disse que a Hungria não quer a guerra na Ucrânia, pelo contrário, quer que a paz regresse à região o mais depressa possível. A Hungria defende a Ucrânia e apoia a sua soberania, disse ele.

Ele salientou que “podemos distinguir muito claramente entre aqueles que são os agredidos e aqueles que são os agressores”. Condenamos a agressão militar da Rússia e condenamos as graves violações dos direitos humanos e apelamos à investigação imediata dos crimes de guerra cometidos, afirmou.

Ele avaliou: A solidariedade da Hungria é demonstrada pelo facto de, até agora, ter acolhido 670.000 refugiados e estar a oferecer empregos àqueles que querem ficar a longo prazo e a proporcionar escolaridade às crianças. Todos os refugiados da Ucrânia serão admitidos na Hungria e nós vamos ajudá-los a todos, disse ele.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros explicou que a assistência oferecida pela Hungria é constituída por cinco elementos. Em primeiro lugar, a Hungria está pronta a participar na reconstrução de uma escola e de um hospital na região de Kiev, mas se a Ucrânia quiser outro local, adaptar-nos-emos a isso, disse ele.

Ele disse que com o número crescente de deslocados na Ucrânia a fugir da guerra para o oeste da Ucrânia, a Hungria está a fornecer-lhes casas móveis, e podemos começar a transportá-las a qualquer momento. Como terceiro elemento, a Hungria está a fornecer milhares de bolsas de estudo para estudantes da Ucrânia para continuarem os seus estudos universitários, disse ele.

Continuou que a Hungria prestará cuidados aos soldados ucranianos feridos nos hospitais húngaros, sem qualquer limite no número. Finalmente, permitirá que 130.000 crianças sejam tratadas em hospitais especiais, acrescentou ele.

Szjjártó indicou que os cinco elementos em conjunto ascendem a uma ajuda no valor de 37 milhões de euros.

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade