Rússia – Hungria: Lavrov visita hoje a Hungria. Antes foi entrevistado pelo Magyar Nemzet

por LMn | MTI

A cooperação entre a Rússia e a Hungria atingiu um “nível sem precedentes”, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros Russo Sergey Lavrov ao diário pró-governamental Magyar Nemzet, numa entrevista publicada esta segunda-feira.

Lavrov chega hoje a Budapeste para uma visita de trabalho a Budapeste, a convite do seu homólogo húngaro Péter Szijjártó.

Lavrov disse que as relações entre os dois países estavam baseadas num pragmatismo saudável, respeitando os interesses um do outro e ambos os lados concentrando-se no trabalho.

Referindo-se às sanções da União Europeia introduzidas contra a Rússia em 2014, que também tiveram um efeito negativo no comércio Hungria-Rússia, disse que a Rússia estava pronta a desenvolver laços comerciais e económicos com a Hungria, sempre que os parceiros húngaros demonstrem abertura para tal.

“Para além do relançamento das relações comerciais bilaterais, existe também a possibilidade de relançar os investimentos e a cooperação técnico-científica e industrial”, disse ele.

Destacou a cooperação bem sucedida entre a Hungria e a Rússia na luta contra a nova pandemia do coronavírus, acrescentando que a Hungria foi o primeiro e até agora único país da UE que aprovou a vacina russa Sputnik-V e comprou stocks consideráveis. Disse que a possibilidade da produção húngara da vacina estava actualmente a ser avaliada.

Lavrov disse que os pressupostos de que o gasoduto Nord Stream 2 actualmente em construção iria aumentar a dependência da Europa do fornecimento de gás russo eram infundados. Disse que seria mais correcto falar de interdependência de uma forma positiva, considerando que era também do interesse da Rússia que os europeus comprassem os seus produtos, incluindo a energia.

“Numa perspectiva estratégica, o Nord Stream 2 irá reforçar a segurança energética da Europa durante muitas décadas”, acrescentou ele.

Em resposta a uma pergunta, disse que tanto a Rússia como a Hungria estavam prontas a continuar as reuniões pessoais entre os seus líderes, mas tendo em consideração os riscos causados pela pandemia do coronavírus, o diálogo directo entre o Presidente russo Vladimir Putin e o Primeiro-Ministro Viktor Orbán só será retomado depois de a saúde pública e a situação pandémica estarem estabilizadas.

 

Fonte: MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade