Quem está por detrás da marcha ameaçadora dos adeptos de futebol húngaros?

por LMn
image_pdfimage_print

Em ambos os jogos do Euro 2020, Budapeste foi paralisada pelo desfile que consistiu na marcha dos adeptos. Milhares de pessoas marcharam pela cidade, da Praça dos Heróis à Arena Puskás.

Mas quem está por detrás destas marchas espectaculares?

Segundo o portal de notícias Telex, membros do grupo de fãs da “Brigada dos Cárpatos” organizaram e a lideraram as marchas com t-shirts pretas, carregando um enorme cartaz com a etiqueta “Hungria”, disparando bombas de fumo vermelhas, brancas, e verdes.

A “Brigada dos Cárpatos” é a base de fãs unidos “oficial” da selecção nacional. O portal Deutsche Welle chamou-lhes “um grupo ultra neonazi composto por membros de grupos de extrema-direita de todo o futebol húngaro, unidos atrás da equipa nacional”.

Por seu lado o semanário liberal HVG afirma que apesar das suas expressões e acções frequentemente duras ou radicais, a “Brigada dos Cárpatos” melhorou muito o estado mental das bancadas húngaras.

A “Brigada dos Cárpatos” foi formada em 2009. Não é um grupo típico de adeptos de diferentes clubes, mas é constituída por pessoas que são especificamente adeptas da equipa nacional.

São responsáveis pelas bandeiras e cartazes, pelos cânticos, e pelo ambiente geral nos jogos. Embora não tenham um passado político específico, há muitos adeptos de direita e extrema-direita entre eles.

Segundo o HVG, embora seja característico também dos adeptos de futebol húngaros odiarem as outras equipas e a sua base de adeptos, o objectivo da “Brigada dos Cárpatos”, com os seus 50-100 membros principais, a ideia original era reunir todos os adeptos de futebol húngaros e mostrar uma base de apoio húngara unida.

No entanto, HVG diz que o cenário está a mudar. A grande mudança na percepção dos adeptos veio numa altura em que, após um longo período de fracasso, a equipa nacional começou a ter um melhor desempenho.

Foi no Campeonato Europeu de 2016 que dezenas de milhares de pessoas se viram a marchar pelas ruas de Marselha com a ecografia, quando as pessoas perceberam que todos tinham um lugar nas bancadas, independentemente das opiniões políticas.

A Brigada não só presta agora atenção à aparência uniforme (camisola preta com a inscrição branca de “Hungria”), mas também sublinha que ninguém deve estar inaceitavelmente bêbado, todos devem trazer água suficiente e “comportar-se de forma digna da ocasião” nos jogos.

Fonte: Telex, HVG, Deutsche Welle, 444/Daily News Hungary

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade