Quanto custam as contas de eletricidade em cada país europeu? – Hungria em excelente posição

por LMn

Segundo este estudo, Portugal em relação ao salário médio, tem a energia mais cara da Europa

Não importa onde quer que esteja no mundo, há uma coisa que cada país tem em comum: as pessoas adoram reclamar do custo da eletricidade.

Países com as contas de eletricidade mais caras:

A Noruega tem a conta de eletricidade mais cara da Europa. Os residentes deste país podem pagar a soma astronómica de € 2.467 por ano pela eletricidade,   € 2.161 a mais do que a Bulgária, que tem a conta mais barata.

Mas, apesar de ser a conta de luz mais cara de toda a Europa, quando comparado com o salário médio do país (€ 39.125), os noruegueses gastam em média 6,3% do seu salário anual em contas de eletricidade.

Em segundo lugar está a vizinha da Noruega, a Suécia. Neste país escandinavo, os habitantes podem pagar € 1.767 ao ano pelas suas contas de eletricidade, – € 700 a menos que os noruegueses. Em comparação com o salário médio anual (€ 24.474), os residentes da Suécia podem gastar 7,2% do seu salário anual nas contas de eletricidade.

A terceira conta de energia mais cara vai para Chipre, com um custo médio de € 1.563 por ano. De acordo com a nossa pesquisa, o cipriota ganha em média 16.215 € por ano, o que significa que gasta 9,6% do seu salário nas contas de luz – o terceiro valor mais elevado quando se leva em conta o salário médio, logo a seguir a Portugal (9,8%) e à Croácia (9,7%).

Em quarto lugar está a Finlândia, com os residentes a terem que pagar em média anualmente € 1.525 pela eletricidade. Como vizinhos do primeiro lugar, Noruega e segundo lugar, Suécia, parece que os países escandinavos têm as contas de eletricidade mais altas da Europa! Mas se levarmos em conta que um finlandês ganha em média de € 24.879 por ano, ele gasta 6,1% do seu salário nas contas de energia.

A Irlanda é o quinto mais caro entre os países europeus considerados, com as contas de eletricidade atingirem em média € 1.470 por ano. Quando se leva em consideração quanto ganha em média um irlandês (€ 24.920), os residentes neste país gastam 5,9% do seu salário anual para pagar as contas de eletricidade.

Países com as contas de eletricidade mais baratas:

A Bulgária tem a conta de eletricidade mais barata da Europa, com o custo médio de apenas € 306 por ano  -uma diferença de € 2.161 em comparação com a Noruega que tem as tarifas mais caras de eletricidade. Ao comparar este valor com o salário médio de um cidadão búlgaro (€ 4.224), os búlgaros gastam cerca de 7,2% do seu salário anual em contas de eletricidade – este montante coloca-os entre os 10 primeiros dos países considerados neste estudo.

A Hungria possui a segunda conta de eletricidade mais favorável da Europa, pois segundo a nossa pesquisa,as contas de eletricidade custam cerca de € 370, em média, por residência a cada ano. Se o salário médio do país for levado em consideração (€ 5.852), os húngaros podem gastam 6,3% do seu salário anual nas contas de eletricidade.

Logo atrás da Hungria está a Polónia, com a conta de eletricidade média a custar € 390 por família a cada ano – a terceira mais barata. Tendo em conta que o salário médio anual dos polacos é de 7.124 €, podemos concluir que os polacos gastam 5,5% do seu salário anual com as contas de electricidade.

O quarto lugar vai para a Lituânia, que paga 499 € pelas suas contas de electricidade, em média, por ano. Como os lituanos ganham em média € 7.586 por ano, com base nisso, pagam 6,6% do salário a cada ano na conta de luz.

A Estónia ocupa o quinto lugar, com a conta de eletricidade média custando às famílias 557 euros por ano, o que a torna uma das contas de eletricidade mais baratas de toda a Europa. Quando se compara este valor com o salário médio anual dos estonianos (€ 11.461), 4,9% do seu salário anual é gasto com a conta de luz.

Uma análise completa da pesquisa:

Fonte:

Dalilynewshungary.com

 

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade