Programa de Ajuda Humanitária da Hungria apreciado no Médio Oriente, África

por LMn | MTI

As comunidades cristãs perseguidas no Médio Oriente e em África apreciaram o programa de ajuda humanitária do governo Hungria, disse o secretário de estado responsável pela ajuda aos cristãos perseguidos à MTI.

Tristan Azbej é membro de uma delegação húngara liderada pelo primeiro-ministro que participou na 12ª conferência internacional de legisladores católicos na capital italiana durante o fim-de-semana.

Ele disse à MTI por telefone que na sexta-feira tinha participado na audiência papal que também contou com a presença de Ignatius Aphrem, o Patriarca da Igreja Ortodoxa Síria.

Azbej notou o apreço do patriarca pelo apoio que o Papa Francisco tinha demonstrado à ajuda do governo húngaro aos cristãos perseguidos. Disse que a ajuda da Hungria contribuiu grandemente para a sobrevivência dos cristãos perseguidos pelo Estado islâmico ou pelas forças jihadistas na Síria e no Iraque, ou para o seu regresso da sua viagem de migração.

O Secretário de Estado chamou à perseguição dos cristãos “uma das maiores crises humanitárias do mundo”, afetando 340 milhões de pessoas em todo o mundo. Ao mesmo tempo, os fóruns internacionais na sua maioria “ignoram-na completamente”, disse ele.

Azbej disse que, segundo o modelo do programa húngaro, a Polónia e a Croácia lançaram recentemente programas semelhantes para ajudar os cristãos perseguidos no Médio Oriente. Foi também criado um grupo de trabalho internacional para adaptar o programa húngaro com o objetivo de prestar ajuda diretamente aos cristãos perseguidos, afirmou.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade