Prémio Fundação Luso Magyar (FLM) – Personalidade do Ano: Katalin Kraftsik

por LMn

Por sugestão e proposta de vários portugueses residentes na Hungria, a Fundação Luso Magyar (FLM), abraçou a ideia e decidiu já a partir deste ano, 2021, por ocasião do 10 de junho, instituir o Prémio-Reconhecimento “Personalidade do Ano FLM”.

Pretende-se com este “Prémio” homenagear a pessoa, a personalidade húngara que se tenha destacado no apoio à comunidade Portuguesa da Hungria, na divulgação da Língua Portuguesa e da Cultura da Lusofonia na Hungria ou que tenha contribuído, em outra área de atividade, para a promoção do conhecimento mútuo e aproximação entre a Hungria e a Lusofonia.

Depois de apresentada a proposta ao Senhor Embaixador de Portugal em Budapeste, Jorge Roza de Oliveira, ficou decidido que a entrega do Diploma seria realizada na Embaixada – Secção Consular. Aconteceu ontem, 9 de junho.

Foi uma cerimónia informal e simples mas muito sentida pelos presentes. O Senhor Embaixador, Joaquim Pimpão, Delegado da AICEP e Tiago Hipólito da comunidade portuguesa na Hungria dirigiram breves palavras à homenageada. António Felizardo em nome da FLM entregou o Diploma a Katalin Kraftsik.

Quem é a Katalin Kraftsik?

Permitam-nos começar fazendo nossas as palavras e testemunhos que selecionamos de alguns membros da comunidade portuguesa sobre a homenageada:

“Katalin está sempre disponível até mesmo fora de horas. Um grande apoio para quem está emigrado”. Maria, Nuno e Carlota Gomes. (Em Budapeste há 5 anos).

“Katalin, a nossa familiar Húngara que nos recebe sempre com um sorriso e muita alegria na sua, na nossa casa, na Embaixada” Tiago Hipólito (Em Budapeste há 8 anos).

“Sempre que perguntamos aos portugueses de cá para dizer algo sobre a Katalin, a primeira coisa que fazem é sorrir” Frederico Raposo (Em Budapeste há 8 anos).

”Kati, um beijo e um abraço grandes, e ainda um maior obrigado por toda a disponibilidade e amizade”. A equipa de Pázmánd

Brevemente: A Katalin Kraftsik (a Kati para muitos de nós) em 1986 finalizou os seus estudos de português na ELTE, Faculdade de Letras de Budapeste.

Antes da Secção Consular da Embaixada, a Kati primeiro foi guia e tradutora. Entre 1992-2004 trabalhou no Departamento de Português da ELTE, de onde, depois de convidada, se transferiu para a Delegação da AICEP em Budapeste.

Após 5 anos como Técnica da AICEP, promovendo as exportações e imagem de Portugal na Hungria, concorreu ao lugar que entretanto tinha ficado vago na Secção Consular. Desde 2009 a comunidade portuguesa sabe e conhece a Katalin.

A Kati e Portugal! Em 1984, como bolseira, a Kati visitou e esteve em Portugal pela primeira vez. Desde então já perdeu o conto quantas vezes visitou o país que a adotou e que ela transformou em sua segunda pátria.

Coisas da vida! As últimas vezes que foi a Portugal, fê-lo como avó de uma menina luso-magyar! Como o mundo é pequeno, redondo e bonito! O Fado da “nossa” Kati é o Fado Português!

Muito Obrigado Kedves Kati!

 

Budapeste, 10 de junho de 2021

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade