Preços europeus do gás e da eletricidade mais de cinco vezes superiores aos da Hungria

por LMn

Devido ao programa de redução de custos de serviços públicos do governo húngaro, apesar da guerra, Budapeste é ainda o local mais barato do continente para comprar gás natural. Mas de Viena a Roma, os custos de eletricidade duplicaram de 2021 a 2022.

De acordo com um relatório publicado na vg.hu de quinta-feira à tarde, os preços da eletricidade na Europa subiram 515 por cento em pouco mais de um ano, enquanto os preços do gás aumentaram 650 por cento no mesmo período até ao início de Julho.

Segundo o artigo, o preço a prazo de um ano da eletricidade subiu para 371,9 euros em 6 de Julho, contra 60,4 euros por megawatt-hora em Maio do ano passado, um aumento de 515,4 por cento.

Entretanto, o preço a prazo de um ano do gás na bolsa holandesa situa-se atualmente em 162,3 euros por megawatt-hora, um aumento de 650,3 por cento em relação aos 21,6 euros por megawatt-hora em Maio de 2021.

Os baixos preços residenciais devem-se ao limite máximo de preços da eletricidade e do gás imposto pelo governo para proteger os consumidores privados húngaros da volatilidade do mercado.

Os aumentos brutais dos preços foram exacerbados pelo conflito russo-ucraniano, com os preços da eletricidade a subir 128,3% e os do gás 157,3% em comparação com Fevereiro de 2022, de acordo com o site de notícias.

Ao manter um programa de redução de custos de serviços públicos, o governo húngaro está a proteger as famílias deste “espantoso aumento de preços”, de acordo com o artigo. Os setores que tiveram lucros adicionais significativos durante a crise estão também a contribuir para a manutenção dos cortes, pagando um imposto adicional sobre os lucros, escreve a vg.hu.

O artigo salienta também que cerca de 80 por cento da atual inflação húngara se deve principalmente a fontes estrangeiras. “A explosão dos preços da energia devido à guerra não só leva a um aumento drástico da inflação, mas também a uma enorme incerteza, que tem um impacto negativo significativo na taxa de câmbio do forint”, sublinha o artigo.

 

Fonte: vg.hu via HungaryToday

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade