Portugal: InovCluster quer valorização económica dos queijos DOP da região Centro

por LMn | Lusa

A Associação do Cluster Agroindustrial do Centro (InovCluster) quer aprofundar as ações de promoção do queijo com Denominação de Origem Protegida (DOP) do Centro, para o valorizar economicamente e sensibilizar os consumidores para as suas especificidades, foi hoje anunciado.

“Quando falamos de queijos com DOP da região Centro, falamos de três queijos altamente distintivos: Serra da Estrela, Beira Baixa, e Rabaçal. São queijos que se destacam pela sua autenticidade e que fazem parte do nosso património e identidade, com uma íntima ligação ao território e ao saber fazer das suas gentes”, refere, em comunicado enviado hoje à agência Lusa, Cláudia Domingues, presidente da Inovcluster.

A responsável sublinha ainda que o leite utilizado nestes queijos “é exclusivamente produzido nas respetivas áreas geográficas delimitadas”.

A InovCluster realizou um ‘webinar” no âmbito do Programa de Valorização da Fileira dos Queijos com DOP da Região Centro, onde foram dados a conhecer os objetivos e o trabalho já desenvolvido neste projeto, além de apresentar e debater a estratégia de valorização económica destes queijos.

Cláudia Domingues explica que o objetivo da iniciativa foi o de “promover uma reflexão sobre o presente e futuro destes produtos com enorme potencial e importância para a economia dos territórios, nomeadamente, os rurais e de baixa densidade que veem, na valorização de produtos autênticos e distintivos, uma oportunidade de afirmação”.

As primeiras conclusões sobre o Programa de Valorização da Fileira dos Queijos com DOP da região Centro “demonstram que há um enorme potencial a explorar e que o trabalho realizado no âmbito do programa já começa a surtir efeito no acesso ao mercado, mesmo em temos de pandemia”, adianta.

O programa permitiu também testar novas soluções que contribuem para o desenvolvimento da fileira, designadamente o Banco de Terras para Pastores e a Escola de Pastores que visam dar um incremento à produção de leite.

“Os queijos com DOP do Centro têm um grande potencial de dinamização dos territórios rurais e na fixação de pessoas”, sustenta.

A responsável da InovCluster realça que a mudança “passa pelo aprofundar e persistir no tempo com as ações de comunicação e promoção dos queijos com DOP do Centro”.

O objetivo é informar e sensibilizar os consumidores para especificidades que estão associadas a estes queijos, nomeadamente a origem, métodos de produção sustentáveis, valorização de recursos endógenos, alinhamento com a agenda política europeia de sustentabilidade ambiental e inclusão social, entre outros.

“O programa mostrou os benefícios da cooperação das três DOP, os quais podem ser alavancados se houver continuidade temporal com as ações de valorização”, conclui.

O Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro, iniciado em 01 de janeiro de 2019, envolve um investimento total de 2,7 milhões de euros, sendo que 2,3 milhões correspondem a este programa, financiado em 85% pelo Centro 2020, e 428 mil euros dizem respeito à iniciativa Rota Turística e Gastronómica Queijos da Região Centro, financiada em 65% através do Valorizar.

Na globalidade, o projeto envolve um total de 14 entidades da região Centro, das quais quatro comunidades intermunicipais (Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Região de Coimbra e Viseu Dão Lafões), cinco associações do setor, dois institutos politécnicos (Castelo Branco e Viseu) e o Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior.

A iniciativa abrange a produção de queijos DOP da Serra da Estrela, da Beira Baixa e do Rabaçal.

CCC // JEF

Lusa/Fim

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade