Portugal é um mercado tecnológico dinâmico mas atrair e reter talento pode ser um desafio

por LMn

Segundo a Hays Talent Solutions, Portugal é um dos países europeus mais atrativos para as empresas iniciarem ou expandirem negócios na área digital e tecnológica.

Almerinda Romeira e Nuno Braga (versão áudio)

O  relatório “Tech Talent Insights”, da Hays Talent Solutions, cujas conclusões foram divulgadas esta quarta-feira, é particularmente elogioso para o nosso país: “Portugal oferece acesso a perfis fortes, candidatos relevantes e possui instituições de ensino de referência”.

O perfil mais comum deste tipo de profissionais é do sexo masculino, possui mais de oito anos de experiência e encontra-se no litoral, na faixa entre o Porto, Leiria, Coimbra e Lisboa.

Segundo o documento, muitos ‘players’ internacionais estão a criar ‘hubs’ digitais e tecnológicos em regiões como Lisboa e Porto, Braga e Aveiro e procuram candidatos com elevadas competências técnicas, capacidades analíticas, orientação multinacional e competências linguísticas.

“Portugal tornou-se num dos países europeus mais atrativos para as empresas iniciarem ou expandirem os seus negócios e papéis na área digital/tecnológica”, salienta o documento.

Mas há um senão. “A  elevada procura por estes talentos aliada à sua disponibilidade a curto prazo. Para atuar sob esta pressão empresarial a nível internacional, as empresas têm de oferecer uma forte proposta de valor para assegurar o sucesso no mercado contra outros concorrentes”, explica Mário Rocha, senior Manager na Hays Portugal.

Face à dinâmica do mercado, atrair e reter o talento é um desafio real, explica Mário Rocha: “temos pequenas empresas a tentar competir com grandes marcas para reter talentos. Vemos também grandes empresas a lidar com uma enorme pressão para contratar um grande número de pessoas em muito pouco tempo. Não são apenas as empresas de tecnologia ou as empresas de software que enfrentam estes desafios, mas também outras indústrias que têm os seus próprios departamentos tecnológicos”.

Ainda assim, segundo o responsável da Hays, a história pode ter um final feliz: “embora exista bastante talento disponível no país, atrair e reter os melhores pode ser um desafio, mas com a estratégia certa no local, isto é possível”. E conclui Mário Rocha: “Portugal tem um dos mercados digitais e tecnológicos mais dinâmicos da Europa”.

Este artigo foi originalmente publicado em Jornal Económico

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade