Portugal e Brasil participam em Estudo na ”Arca de Noé Mundial” – Svalbard Global Seed Vault

por LMn

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária  (EMBRAPA) integram um estudo a realizar na Arca de Noé Mundial – Svalbard Seed Vault no Polo Norte, que visa avaliar a viabilidade e qualidade de sementes durante os 100 anos de duração desta experiência.

Portugal participa através do Banco Português de Germoplasma Vegetal (INIAV), juntamente com 5 outros países: a Índia (ICRISAT), a Suécia (NordGen), a Alemanha (IPK), a Tailândia (NRSSL) e o Brasil (Embrapa).

Este estudo enquadra-se na conservação e valorização dos recursos genéticos nacionais, fundamental para a valorização dos territórios e dos produtos portugueses, que é uma das áreas prioritárias da Agenda de Inovação para a Agricultura 2030. Vão ser estudadas populações de milho originárias de diferentes regiões do país: Viana do Castelo, Viseu, Coimbra, Portalegre.

A ideia de ter um armazém de segurança global em Svalbard, para albergar duplicados de sementes conservadas em bancos de genes em todo o mundo, começou a ser discutida nos anos 80.

Em 1984, o Nordic Gene Bank (agora NordGen) tinha estabelecido uma instalação de armazenamento de sementes de reserva numa mina de carvão abandonada fora de Longyearbyen, e a ideia de estabelecer um armazenamento de reserva mundial evoluiu gradualmente. De facto, hoje em dia, existe frequentemente um mal-entendido de que o Svalbard Global Seed Vault está na realidade numa mina de carvão abandonada mas, é claro, está esculpido na rocha sólida de uma montanha permafrost.

Em 2001, as negociações que levaram ao Tratado Internacional sobre Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e Agricultura (ITPGRFA) foram finalizadas, e o Tratado foi aberto à assinatura pelos governos nacionais. O Tratado apela ao estabelecimento de um sistema multilateral de recursos fitogenéticos que inclua regras globais de acesso e partilha de benefícios desses recursos.

Com isto em mente, o Governo da Noruega foi abordado pela Bioversity International (então IPGRI) e encorajado a considerar o estabelecimento de uma instalação global em Svalbard. Com base nos resultados de um estudo de viabilidade de 2004 e da aprovação e acolhimento da iniciativa pela Comissão de Recursos Genéticos para a Alimentação e Agricultura da FAO, em outubro de 2004, o Governo norueguês comprometeu-se a financiar e estabelecer o Svalbard Global Seed Vault.

A abóbada das sementes foi aberta a 26 de fevereiro de 2008 na presença do Primeiro Ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, do Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, do Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Jacques Diouf, e da laureada com o Prémio Nobel da Paz, Wangari Maathai.

O Svalbard Global Seed Vault é esculpido numa encosta acima do aeroporto Longyearbyen, 130 metros acima do nível do mar.

O portal de entrada é uma construção simples de betão que ganhou estatuto de ícone global, em parte devido à “Repercussão Perpétua”, uma instalação de arte de fibra ótica iluminada criada pela artista norueguesa, Dyveke Sanne, que decora a entrada. Muitos visitantes de Svalbard vão à entrada do Cofre para se auto-selarem e assinalarem “já lá estive”.

A Abóbada das Sementes, esculpida em rocha sólida virgem, foi aberta a 26 de fevereiro de 2008. A própria área de armazenamento de sementes está localizada a mais de 100 metros dentro da montanha, e sob camadas de rocha que variam entre os 40 e 60 metros de espessura.

Refrigerada a 18°C negativos

A massa da montanha tem permafrost, com uma temperatura estável entre 3 e 4°C negativos. A área de armazenamento de sementes tem um sistema de arrefecimento adicional, para levar a temperatura de armazenamento de sementes a menos 18°C e garantir que se mantém constante. A eletricidade para o cofre de sementes é fornecida pela central elétrica pública em Longyearbyen. Além disso, o Cofre de Sementes está equipado com geradores que fornecem eletricidade em caso de falta de energia elétrica.

Entenda o que são os Permafrost e por que são uma ameaça para a saúde humana (Leia aqui a Notícia da France Press, publicada pelo g1.globo.com).

O armazém de sementes é composto por três salões, cada um com uma base com cerca de 9,5 x 27 metros. Cada pavilhão pode acomodar cerca de 1,5 milhões de amostras de sementes, dando assim ao Cofre de Sementes uma capacidade total para armazenar 4,5 milhões de adesões de sementes. Até à data, as explorações no Cofre de Sementes estão perto de 900.000 amostras de sementes. Apenas um dos três pavilhões está em uso, arrefecido a menos 18°C e equipado com prateleiras para caixas de sementes. Quando este pavilhão atingir a capacidade, o segundo pavilhão de armazenamento será preparado e arrefecido até ao nível necessário para a conservação de sementes.

Sítios consultados: 

Agroportal.pt

Seedvault.no

Créditos de imagem:

Seedvault.no

https://www.wearewater.org/

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade