Poesia da Lusofonia – Tony Tcheka (Guiné-Bissau)

por Fernando Lopes

Mulher da Guiné

Íntimas o espaço
frondosa
palmeira verde
desafias o arco-íris
nas tuas cores
de mulher
caminhas suave
navegando
em estradas
de nenúfares

Mulher da guiné

amendoinha, fole, manga de terra
cabaceira, abacate, goiaba, veludo
– os sabores dos teus lábios

Mulher da guiné

mimoseas o andar
como o canto de uma voz eunuca
coqueiro balouçando ao vento
perfume de terra molhada
beijando a esplanada de areia branca de Varela

sorriso brando
corpo ébano
suando a maresia
és tu Mulher da Guiné

marcam-te o espaço na órbita
das três pedras do fogão
nos circuitos da lenha
no vai-vem da fonte
de – balde – em – balde
nos labirintos esquecidos da cozinha
querem-te domesticamente adormecida

mas
segues os acordes
das melodias do teu chão
dos korás, e bombolons
dos djembés e dos nhanheros
– os teus caminhos

Mulher da Guiné

corpo veludo sossego
musicado em sons de flauta
duas pequenas luas
explodindo na cara canseira

asseda os tormentos
segue caminhando
e leva contigo a tua Guiné
a novos partos de sabura.

 

Tony Tcheka, aliás António Soares Lopes Júnior (Bissau, Guiné.Bissau, 21 de dezembro de 1951, é um poeta e jornalista guineense.

Como jornalista foi diretor da Rádio Nacional da Guiné-Bissau (RDN), chefe da redacção e diretor do Jornal Nô Pintcha, tendo criado um suplemento cultural e literário com o nome “Bantabá”. Foi também correspondente e analista, tendo trabalhado com a BBC, Voz da América, Voz da Alemanha, Tanjug e, em Portugal, com a Agência Noticiosa Portuguesa (ANOP), com o jornal Público, com a RTP África e com a TSF.

Tony Tcheka foi um dos fundadores da Associação de Escritores da Guiné-Bissau (AEGUI), tendo sido eleito vice-presidente da associação. Colaborou na criação da União de Artistas e Escritores da Guiné-Bissau (UNAE) onde desempenhou o cargo de secretário executivo. Ajudou a criar e presidiu à Associação Guineense de Jornalistas (AJGB) em Setembro de 1986.

Obra

  • Noites de Insónia na Terra Adormecida(1987) publicado em 1996.
  • Desesperança no Chão de Medo e Dor
  • Guiné: Sabura Que Dói
  • Os média na Guiné-Bissau[
  • Coordenação das antologias

o   Mantenhas para quem Luta

o   Antologia da Poesia Moderna Guineense

o   Eco do Pranto

Prémios e honrarias

  • “Diploma de Mérito com Estatueta” – atribuído pelo Instituto Superior das Ciências da Educação de Lisboa pelo conjunto da obra.
  • “Diploma de Mérito Grau de Engenheiro de Almas” – atribuído pela Sociedade de Autores Guineenses (SGA) pela sua contribuição na literatura guineense.
  • “Diplomas atribuídos pela SGA na área do jornalismo (televisão, rádio e imprensa escrita)
  • Prémio da Lusofonia” (2017)

 

Fonte: Wikipédia

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade