Ouro do Banco de Portugal brilha mais. Vale 19 mil milhões

por LMn

As 382,6 toneladas são as mesmas, mas “o seu valor em euros aumentou 14,3%”. Ouro é, agora, o ativo com maior peso na carteira de ativos de investimento próprios do Banco de Portugal.

Por Paulo Moutinho

O Banco de Portugal não mexeu nas reservas de ouro, mas o seu valor disparou. Portugal mantém 382,6 toneladas deste metal precioso nos cofres, estando avaliadas em quase 19 mil milhões de euros.

“À semelhança dos anos anteriores, a quantidade de ouro detida pelo Banco não se alterou: 382,6 toneladas“, refere o Relatório do Conselho de Administração do Banco de Portugal.

Apesar de não ter havido qualquer alteração no montante de ouro detido, este valorizou. 2020, ano marcado pela crise pandémica, foi de forte valorização para o metal precioso: subiu 24,6%, em dólares, com os investidores a procurarem ativos de refúgio perante a forte volatilidade nos mercados de capitais.

Em euros, a subida do metal foi menos expressiva, mas houve uma forte valorização. As 382,6 toneladas são as mesmas, mas “o seu valor em euros aumentou 14,3%”, nota a entidade liderada por Mário Centeno.

Atualmente, o ouro português está avaliado em 18.975 milhões de euros, acima dos 16.654 milhões a que estava avaliado um ano antes, sendo este o ativo com maior peso na carteira de ativos de investimento próprios do Banco de Portugal.

A 31 de dezembro de 2020, esta carteira “ascendia a 37.604 milhões de euros, mais 4,4% do que no ano anterior. Este acréscimo resultou do aumento do preço do ouro em euros, com efeitos na sua valorização, que se sobrepôs à redução do montante da carteira de investimento a vencimento”, refere o mesmo relatório.

Fonte: eco.sapo.pt

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade