Ouçam! Silêncio – Vozes de Lisboa. Filme de Judit Kalmár & Céline Coste Carlisle

por Fernando Lopes
Sim! Espalhem a notícia. Espalhem o Silêncio, as Vozes de Lisboa!

Do silêncio, que se vai cantar o fado ao “Silêncio - Vozes de Lisboa”. Bem hajam Judit Kalmár, Céline Coste Carlisle, bem hajam todos, tais marinheiros de agora, que embarcaram destemidos nesta comovente aventura.

Permitam-me para começar uma primeira nota pessoal. Digam o que disserem, façam o que fizerem, chorem o que chorarem, que o mundo está cada vez mais desumano e que a vida está cada vez mais amargurada e pior, que não há nada a fazer, que é impossível inverter esta tendência, mesmo que tenham razão – alguma, muita -, este filme realizado por uma dupla feminina húngaro-suiça, é a prova provada que apesar das nuvens carregadas e por vezes ameaçadoras, por vezes sentirmos que o oxigénio não é suficiente – o mundo dos nossos dias, a nossa vida e o nosso futuro valem a pena! Estamos cá porque somos gente viva! O interesse, a curiosidade, o humanismo, a solidariedade, a aventura, a descoberta, o estar-se vivo, o não desistir – valem sempre a pena, porque como diz o universal Fernando Pessoa no Mar Português “Tudo vale a pena/ Se a alma não é pequena”… As Almas de Judit* e Céline, são muito muito grandes. Obrigado!

*Em conversa com o LMn disse Judit “Sou húngara, a Hungria é o meu país, mas uma parte da minha alma ficou em Lisboa…”

Apresentação do “Silêncio – Vozes de Lisboa”. É um filme documentário dirigido por Judit Kalmár (Hungria) e Céline Coste Carlisle (Suiça) sobre a ideia original de Céline.

“O nosso documentário pretende ser um testemunho do que foi e do que pode vir a ser a cidade de Lisboa e o seu património cultural mais precioso: o fado. Mas para isso precisamos também da tua voz. Será que te queres juntar a nós?”

Eis o Trailer do “Silêncio – Vozes de Lisboa”:

“Silêncio – Vozes de Lisboa nasce da necessidade de contar a história de Ivone Dias, uma fadista de 83 anos com uma história de vida marcada pela impossibilidade de cantar fado profissionalmente até bem entrada na velhice, quando consegue pegar nas rédeas da sua vida e cumprir o seu sonho. Depois virá a Marta Miranda, uma cantante de “world music” com um trabalho focado na criação de comunidades. Junto com o J. Marc Pablo, gere um dos mais vibrantes espaços de partilha cultural e musical de Lisboa, no que se juntam fadistas com outros músicos e cantores que provêm de diferentes origens e experiências musicais.

Mas pelo caminho, encontramos uma cidade em constante transformação, que parece não deixar espaço a estas pessoas nem a comunidade que elas contribuíram a criar. A Ivone já não pode morar na Alfama que a viu nascer, crescer e envelhecer e a Marta é obrigada a fechar a TascaBeat do Rosário, o seu espaço em Alfama. O turismo massivo e a especulação imobiliária podem vir a destruir aquilo que era um dos pilares fundamentais do fado: a partilha e a comunhão entre as gentes.

Ao respeitoso Silêncio ao que o fado convida, unem-se as vozes de uma Lisboa que reclama o seu espaço de ser”

O nosso documentário pretende ser um testemunho do que foi e do que pode vir a ser a cidade de Lisboa e o seu património cultural mais precioso: o fado. Mas para isso precisamos também da tua voz. Será que te queres juntar a nós?

Nota final (por agora, pois em breve voltaremos ao “Silêncio – Vozes de Lisboa”) – Como dizem na sua página e hoje nos confirmou Judit “Finalmente podemos anunciar a data da estreia do nosso filme em Portugal: 16 de outubro, 11.00h na Competição de Longas-metragens em Lingua portuguesa de CineEco Seia https://www.cineeco.pt/

Por Fernando Lopes, Budapeste, 25 de setembro de 2020

Crédito das fotos: Gábor Halász

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade