Os Treze Mártires de Arad

por LMn

Os mártires de Arad foram os treze oficiais militares húngaros (12 generais e 1 coronel) que foram executados em Arad, após a sua derrota na revolução e na guerra de independência em 1848-49. Embora o número desses oficiais militares seja dezasseis, a memória nacional refere-se principalmente aos treze oficiais militares executados em 6 de outubro de 1849, designando-os frequentemente pelos “Treze Mártires de Arad” ou “Os Treze de Arad”.

Todos eram oficiais militares ativos ou aposentados do Exército Real Imperial Austríaco e, no final da guerra da independência, um deles era tenente-general, outro major-general e um deles coronel do exército húngaro. O Coronel Vilmos Lázár foi classificado como general, porque comandou um exército independente no final da guerra de independência. Os vencedores, por outro lado, não reconheceram oficialmente a patente de general de nenhum deles. Entre os mártires, o Tenente-General do Exército Ernő Kiss era o mais velho, que já havia sido Coronel (Imperial-Real), os outros tinham uma patente inferior no Exército Comum.

No mesmo dia, o primeiro primeiro-ministro húngaro responsável, Lajos Batthyány, foi executado em Pest.

Na cerimónia de comemoração em Arad em 6 de outubro de 1890, no exílio em Torino, o discurso solene de Lajos Kossuth foi gravado num cilindro fonógrafo, tendo sido posteriormente levado a Arad e à Voz de Kossuth.

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade