Os húngaros têm bebido mais vinho desde o início da epidemia

por LMn

4 por cento dos entrevistados já encomendaram vinho de uma loja virtual nos últimos meses, seja de um comerciante de vinhos ou diretamente de um produtor, de acordo com uma pesquisa realizada por Csaba Koch, vencedor do prémio Produtor de Vinho do Ano em outubro e novembro.

De acordo com o relatório do storeinsider.hu, as compras online estão a aumentar, até mesmo diretamente do produtor. De acordo com a pesquisa, a categoria de preço mais popular é a faixa de 1.000-2.000 forints (2,5-5,5 euros).

A maioria ainda compra a sua bebida favorita presencialmente: 37,8 por cento compram principalmente em supermercados e 18,4 por cento em loja de vinhos.

12 por cento dos entrevistados disseram que seus hábitos de consumo de vinho mudaram desde o início da pandemia do coronavírus: eles consomem mais vinho, mas geralmente em casa. No entanto, apenas 6 por cento bebem vinho diariamente, com a maioria (50,1%) abrindo garrafas 1-2 vezes por semana.

“De acordo com pesquisas, o vinho branco é a categoria mais popular; 62,4 por cento dos entrevistados gostam de consumir vários vinhos brancos. O vinho tinto ficou em segundo lugar (59,6%) e o rosé terminou em terceiro com 49,8%. Pode-se dizer que nos últimos tempos o consumo de rosé diminuiu um pouco, mas ainda é muito popular.

Entre os clientes, a categoria de secos ficou em primeiro lugar e o vinho doce em segundo ”, informa Csaba Koch. O enoturismo húngaro torna-se mais popular a cada dia.

Mais de metade dos inquiridos prefere vinho por um valor entre 1.000-2.000 forints (2,5-5,5 euros) e, no total, 88 por cento dos inquiridos preferem produtos com um preço inferior a 3.000 forints (8,5 euros).

Se as pessoas escolherem o vinho como presente, os húngaros são um pouco mais galantes: a maioria (39,2 por cento) compra um produto com uma faixa de preço de 2.000-3.000 forints (5,5-8,5 euros), e 18,8 por cento vão até 5.000 forints (14 euros). “A maioria dos consumidores acredita que não existe necessariamente uma forte correlação entre o preço e a qualidade do vinho, pelo que a escolha é mais frequentemente feita por vinhos de boa qualidade na faixa de preço médio.

Para os clientes, os aspetos mais importantes da seleção de vinhos são o nome, o reconhecimento da marca, o rótulo do vinho e os prémios da vinificação na garrafa. De acordo com os resultados do inquérito, a premiada qualificação de vinho ou enologia é um aspeto decisivo para 80 por cento dos clientes.

Com base nos hábitos de compra, pode-se afirmar que a maioria dos inquiridos prefere vinhos húngaros aos vinhos estrangeiros (44,7 por cento dos respondentes não consomem vinho estrangeiro); o que é um resultado extremamente gratificante para os vinhos húngaros ”, disse Victoria Evans, Sommelier Campeã do Ano 2020, em conexão com a pesquisa.

Fonte:

Daily News Hungary

storeinsider.hu

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade