Orbán: ‘Pandemia, Migração e Gyurcsány são as maiores ameaças à Hungria’

por LMn | MTI

Para além da pandemia e da migração, o antigo primeiro-ministro Ferenc Gyurcsány, a conquistar o poder, “representa a maior ameaça à Hungria”, disse o primeiro-ministro Viktor Orbán numa reunião do partido governante Fidesz, conforme anunciado pelo jornal Magyar Nemzet.

Numa reunião do grupo Fidesz em Debrecen, no leste da Hungria, Orbán referiu que no ano passado, a Hungria lidou extremamente bem com a “tripla crise” sanitária, económica e social e “ganhou a corrida europeia de vacinação”, tornando-se o país com a maior taxa de vacinação da Europa, acrescentou.

O elevado número de vacinações permitiu um relançamento da economia, disse Orbán, acrescentando que um crescimento de 5,1% este ano impulsionaria a economia para níveis pré-crise. Se o crescimento económico atingir 5,5 por cento, os impostos sobre o trabalho podem ser reduzidos, o salário mínimo pode ser aumentado para 200.000 forints (570 euros) por mês e um aumento das pensões pode ser pago, disse ele.

Comentando as próximas eleições, Orbán disse “Gyurcsány é o verdadeiro inimigo e o atual Presidente da Câmara de Budapeste, Gergely Karácsony e demais outros, desempenham apenas papéis de apoio”.

“Não devem esquecer que Gyurcsány está a distribuir os papéis, ele tem tudo nas suas mãos”, disse ele à reunião. “Sabemos a verdade e temos de garantir que todos os outros as descubram”, acrescentou ele.

É importante lembrar às pessoas que “uma vez que Gyurcsány regresse, a ala esquerda aumentará novamente os impostos, especialmente para as pessoas com crianças, deixarão entrar migrantes e aumentarão as taxas de serviço público”, disse ele. “O Fidesz deve impedir isso”, acrescentou ele.

Fonte: MTI

Crédito da Foto: Szilárd Koszticsák/MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade