O Presidente da CM de Budapeste pensa introduzir um novo imposto de 0,5%

por LMn

Gergély Karácsony, Presidente da Câmara Municipal de Budapeste está a refletir sobre a introdução de um imposto de “recuperação” de 0,5% para grandes empresas, com receitas anuais acima dos 5 mil milhões de forints, imposto temporário, até que Budapeste ultrapasse a crise económica causada pela epidemia do coronavírus.

Gergély Karácsony, disse esta quarta-feira no Conselho de Coordenação de Interesse Metropolitano, que a capacidade de Budapeste de continuar a funcionar era do interesse da economia nacional e por isso serem necessárias tomar medidas para uma partilha mais justa do peso público no funcionamento dos serviços da capital. As empresas de setores menos afetados pela epidemia devem pagar o imposto, acrescentou.

O Presidente da Câmara disse que Budapeste deve perder três vezes mais receita tributária do que o orçamento central. No total, 70 por cento da receita do capital vem do imposto sobre as receitas das empresas que caíram de 165 mil milhões em 2019, para 139 mil milhões de forints este ano.

O orçamento de 2020 da capital é de 300 mil milhões de forints e neste momento tem já um “buraco” de 69 mil milhões  de forints, acrescentando que as receitas dos impostos devem continuar a diminuir até 2022-2023.

Gergély Karácsony  que vai continuar a negociar com o governo central. para que uma parte das receitas dos impostos cobrados em Budapeste e canalizados para o orçamento nacional, fique em Budapeste.

Fonte: MTI

Crédito da Fotografia: Szilárd Koszticsák / MTI

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade