Naufrágios de pequenas embarcações causaram já 18 mortos este ano no sul de Angola

por LMn | Lusa
image_pdfimage_print

O naufrágio de pequenas embarcações causou já este ano 18 mortos no Namibe, disse o presidente da Associação de Pescadores daquela província do sul de Angola, que apela a uma maior intervenção da fiscalização.

Jorge Hilário de Sousa disse à Lusa que nos últimos dois anos, a província registou a morte de 100 pessoas devido a este fenómeno.

“Nós temos no sul de Angola um elevado número de naufrágios, essencialmente a nível da pesca artesanal, onde as questões de segurança às vezes não são devidamente acauteladas”, referiu.

O responsável defendeu que a nível da autoridade marítima, das capitanias, haja uma atuação diferente na questão da habilitação dos marinheiros, na forma de conferir qualidade à pessoa que vai para a pesca, bem como as condições de segurança das embarcações licenciadas para a atividade.

Segundo Jorge de Sousa, boa parte dos faróis não funcionam, o que dificulta, essencialmente no tempo do frio, a visibilidade daqueles que não têm instrumentos evoluídos de navegação marítima.

“Há também marinheiros que se põem ao mar sem passar pela autoridade”, disse o responsável, realçando que “as perdas são elevadíssimas em vidas humanas”.

“No Namibe, há dois anos tivemos cerca de 100 pessoas mortas em naufrágios. Neste primeiro semestre estamos a andar em cerca de 18 pessoas, é preocupante, há armadores irresponsáveis, que preferem às vezes fazer a atividade contornando as autoridades”, sublinhou.

NME // JH

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade