Mihály Varga sobre a adesão da Hungria à UE: voltaremos a este assunto daqui a uns anos!

por LMn

O Ministro das Finanças Mihály Varga disse ontem que votou a favor da adesão à UE, mas “no final da década, quando esperamos ser contribuintes líquidos para a UE, a questão pode assumir uma nova perspetiva”, disse Mihály Varga à ATV. O ministro das finanças disse que a questão deveria ser revisitada dentro de alguns anos.

As principais mensagens da entrevista:

  • Varga diz que a inflação só saltará temporariamente, depois voltará a aproximar-se dos 3% – o Ministro das Finanças confiante nas promessas do banco central.
  • O governo não pretende combater a inflação através da redução do IVA.
  • O orçamento permanecerá inalterado, apesar das críticas do presidente do banco central György Matolcsy, e o rácio défice/PIB apenas voltará a 3% em 2024.
  • Mesmo que haja medidas restritivas em resposta à quarta vaga da epidemia do coronavírus, elas “não serão tão extensas e profundas como nas vagas anteriores” devido ao contágio.
  • A dimensão do Fundo de Recuperação Nacional criado pelo governo será de 450 mil milhões de forints, a mudança é que este não virá da União Europeia mas terá de ser financiado pelo orçamento nacional. Se as discussões com Bruxelas não estiverem concluídas até 2022 – o Estado continuará a financiar o montante que reservou para os projetos do programa de recuperação no próximo ano.
  • Mihály Varga está confiante de que o governo será capaz de resolver as discussões com Bruxelas antes das eleições de 2022. “Estivemos perto de um acordo em julho e parecia que seria feito um anúncio em breve”. Numa escala de um a dez, as hipóteses de um acordo são de oito e meio, segundo o ministro das finanças.
  • O governo poderia decidir sobre uma possível prorrogação da moratória do crédito após 30 de setembro no início do Outono, com base nos resultados das conversações e da consulta nacional. “Estamos à procura de uma solução para que as 35.000 empresas que utilizam a moratória não se encontrem numa situação insolúvel após as emendas”.
  • Seria prematuro decidir sobre a data da introdução do euro na legislatura de 2022-26.

Fonte: Portfolio.hu

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade