Marcelo diz que queijo Serra da Estrela “tem de ser” património mundial

por LMn | Lusa
image_pdfimage_print

Celorico da Beira, Guarda,  (Lusa) – O Presidente da República defendeu que o queijo Serra da Estrela “tem de ser” Património Mundial e pediu que seja possível lançar uma candidatura para a sua concretização, afirmando que é um produto “único no mundo”.

“Isto é uma região muito forte. Muito, muito forte, A região Centro toda ela, mas a região da Serra da Estrela, dentro da região Centro. Tem tudo, não é só o queijo, que é único no mundo, tem de ser património mundial”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado afirmou que “tem de se conseguir lançar a candidatura para património mundial, o queijo da serra”.

“Tem azeite, tem castanhas. O que é que não tem? O mais importante é a gente. A natureza é única, o que se produz é único, mas não se produz esta gente, vocês é que são únicos”, afirmou, perante um pavilhão repleto de pessoas.

No recinto do mercado municipal, onde decorre a 44.ª Feira do Queijo Serra da Estrela, em Celorico da Beira, na Guarda, o Presidente da República considerou que o certame é “um momento de esperança” e a título de exemplo destacou “o aumento do número de expositores” nesta edição.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que “os portugueses são sempre os melhores dos melhores”, mas depois, “há um lugarzinho muito especial para esta gente que parece estar longe, quando é vista de Lisboa” ou de outras cidades do país que enumerou.

“Mas é uma gente que resiste, é uma gente notável, é uma gente cheia de força. Aguenta o frio, aguenta a seca, aguenta as dificuldades todas da natureza e resiste”.

O Presidente da República pediu “mais gente nova” para a região e “mais turismo a descobrir os encantos da montanha, dos trilhos, dos passadiços, da comida, da bebida, dos costumes” e, considerando que é preciso “apoiar tudo isso”.

Num discurso que, não estava programado, Marcelo Rebelo de Sousa, ao longo de 10 minutos, agradeceu “toda a resiliência e trabalho”, seja no inverno ou no verão, com os incêndios, “às gentes” das beiras e do interior, onde tem as suas origens maternas.

“E, portanto, eu tenho uma coisa em comum, que é o interior. Não tenho nada na família que diga respeito ao litoral, é tudo no interior e, por isso, eu fui, até agora, o único Presidente da República em democracia que foi autarca num município do interior, Celorico de Basto, que na altura era o mais pobre município de Portugal”, disse.

Aos autarcas da região presentes na abertura do certame, não só do distrito da Guarda, como também dos vizinhos de Castelo Branco e de Viseu, o chefe de Estado agradeceu “o feito” e pediu para “pôr a região da Serra da Estrela na moda”.

IYN/ASR // SF

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade