Loulé – Concelho de Mar e Serra, Tradições e Glamour, História e Modernidade

por LMn

Em pleno Parque da Ria Formosa, o trilho de São Lourenço e o da Quinta do Lago podem ser percorridos a pé ou de bicicleta ao longo de todo o ano. Esta é a maior zona húmida do Algarve e apresenta uma grande variedade de habitats aquáticos e terrestres permitindo a observação de aves principalmente no outono e inverno.

Na Marina de Vilamoura pode participar em várias atividades náuticas desde passeios em veleiro ou iate de luxo pela costa, passando pelo mergulho e desportos náuticos, até à pesca grossa.

Junto à marina é possível efetuar uma viagem no tempo na estação arqueológica “Cerro da Vila”. Este local foi sucessivamente ocupado por diversas civilizações, nomeadamente romanos, visigodos e árabes até ao seu abandono no início do séc. XII.Perto de Almancil, na igreja de S. Lourenço, podemos apreciar o casamento perfeito entre a azulejaria e a talha dourada do séc. XVIII, o azul e branco a contrastar com o ouro numa obra de arte de beleza única.

No coração da cidade, o Mercado de Loulé inaugurado em 1908, num estilo revivalista de inspiração árabe, é o ex-libris de Loulé. Aqui encontra uma variedade de frutas, legumes, produtos tradicionais e, claro está, o peixe e marisco mais fresco apanhado na nossa costa.

No centro histórico de Loulé, aventure-se num percurso pelas suas ruas estreitas e sinuosas, entre no castelo onde, no rés de chão, a sala do Museu Municipal tem como parede de fundo a muralha que envolvia a cidade, eis, passando pela escrita do sudoeste, presença romana, árabe e cristã.

Deixe-se encantar pelas mãos experientes que trabalham a palma, o martelar do cobre na produção da típica cataplana e visite o solar Gama Lobo. Ocupado entre 1933 e 1939 por Jesuítas espanhóis que aqui se refugiaram, ficou até aos nossos dias conhecido como “Palácio dos Espanhóis”. Sede do projeto Loulé Criativo que gere as diferentes oficinas temáticas do barro, cobre, empreita.

Alte é considerada, por muitos, uma das aldeias mais bonitas e típicas de Portugal. Na Fonte Grande, a piscina natural convida a um refrescante mergulho e a água da ribeira atravessa alegremente toda a aldeia até à Queda do Vigário onde se despenha uma altura de 24 metros continuando o seu caminho até ao mar.

A poucos quilómetros de Salir, na Rocha da Pena a riqueza da fauna e flora convidam a realizar o percurso pedestre e, no cimo deste curioso fenómeno geológico, com uma vista de 360º apreciar toda a paisagem envolvente.

Fonte: Ambitur.pt

 

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade