LMP: A pensão mínima húngara de 28,5 mil forints (79 euros) por mês não é suficiente

por LMn

O governo está “cruelmente a dececionar os idosos”, mantendo a pensão mínima baixa e indexando as pensões abaixo da inflação, disse na segunda-feira Erzsébet Schmuck, co-líder do partido da oposição LMP, e apelou ao governo para aumentar as pensões em 4% em Janeiro, bem como para aumentar a pensão mínima “duas vezes e meia a mais de 71.000 forints mensais (197 euros)”.

Schmuck disse que as pensões seriam atualmente indexadas em 3%, enquanto que, por exemplo, o preço das vinhetas de auto-estrada tinha subido 3,9%, no que diz respeito à inflação. Além disso, disse ela, os pensionistas só receberiam o aumento no final de 2021, com o governo a “utilizar o seu dinheiro gratuitamente” durante todo o ano.

Schmuck criticou o governo por não planear aumentar a pensão mínima, que tinha sido a mesma 28.500 forints por mês durante os últimos 13 anos.

Schmuck referiu que dar aos reformados um quarto extra de um mês de pensão este ano foi uma “lavagem nos olhos”, e sugeriu que a medida dificilmente seria adequada para evitar que os idosos fossem empobrecidos.

O legislador também instou o governo a reduzir o IVA sobre produtos alimentares fundamentais de 27 para 5 por cento.

 

MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade