Jorge Barbosa (Cabo Verde) – Desejo Louco

por Fernando Lopes

Desejo Louco

Aperta-me em teus braços torneados,
Aperta-me ao teu seio palpitante!
Ai! deixa-me sonhar, a alma errante
Pelas regiões do Amor, sonhos dourados!

Vê como a noite é calma e enluarados
Os campos têm cor esbranquiçante…
Aperta-me nos braços, minha amante,
Dá-me os teus lábios frescos e rosados…

Como dois pombos, nós assim unidos,
E lá no Céu, boiando, triste, a lua,
Terá a Vida encantos reunidos!…

E eu hei-de-te despir, pra ver-te nua,
À luz do luar, os seios languescidos…
– Pra ver a tua carne como estua!…

Jorge Vera-Cruz Barbosa (Cidade da Praia, 22 de maio de 1902 – Cova da Piedade, 6 de janeiro de 1971)

Nasceu na ilha de Santiago, fez os seus estudos primários entre Lisboa e a Cidade da Praia. Viveu a maior parte da sua vida no arquipélago de Cabo Verde. Aos dezoito anos começou a trabalhar na Alfândega de São Vicente.

Residiu vários anos na ilha do Sal fazendo parte dos quadros dos serviços aduaneiros, circunstância que se refletiu na sua poesia com o desespero de “querer partir e ter de ficar”.

Aposentou-se na Ilha do Sal em 1967. Em 1970, aos 68 anos, o seu estado de saúde agrava-se com problemas coronários, viaja para Portugal com o objectivo de se tratar, mas vem a falecer 3 meses depois, no dia 6 de Janeiro de 1971.

No ano de 1935 com a publicação do seu primeiro livro, Arquipélago assumiu o movimento literário de emancipação cultural, social e política da sociedade cabo-verdiana ligado a revista literária e cultural denominada Claridade que surgiu no ano de 1936.

Colaborou em várias revistas e jornais portugueses e cabo-verdianos e ainda na revista luso-brasileira Atlântico.
Jorge Barbosa escreveu ainda Ambiente (1941), Caderno de um Ilhéu (1955, Prémio Camilo Pessanha) e, na altura os proibidos, mas editados mais recentemente, Meio Milénio, Júbilo e Panfletário.

Jorge Barbosa deu um enorme contributo literário nas revistas e jornais da sua época, com especial destaque na Presença, Claridade, Cadernos de Poesia, Diabo, Atlântico, Mundo Português, Aventura, Movimento, Mensagem (CEI), Noticias de Cabo Verde. A sua mais duradoura colaboração foi para o Boletim de Cabo Verde, onde durante vários anos publicou poemas, crónicas e vários artigos de São Vicente.

Ao longo da sua vida literária, publicou apenas três livros. No ano de 2002, postumamente, a sua obra poética foi reunida e publicada pela Imprensa Nacional casa da Moeda com mais três novos livros.

Obras

” Arquipélago (1935)
” Ambiente (1941)
” Caderno de um Ilhéu (1956)
” Postumamente, em 2002, a sua Obra Poética foi reunida pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda, onde se acrescentou três livros inéditos, ordenados pelo poeta: I – Expectativa; II – Romanceiro dos Pescadores; III – Outros Poemas.

Legado

” Na cidade do Mindelo, na Ilha de São Vicente existe a Escola Secundária Jorge Barbosa. Antes da Independência de Cabo Verde,em 1975, esta escola chamava-se Liceu Nacional Infante D.Henrique
” No sul da Cidade da Praia, em Cabo-Verde, existe uma avenida chamada Avenida Jorge Barbosa
” Na Ilha do Sal existe uma biblioteca chamada Biblioteca Municipal Jorge Barbosa.

 

Fonte: Wikipédia/Diversos

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade