Já abriu o impressionante Salão Barroco do Museu de Belas Artes em Budapeste

por LMn

Após quase 80 anos, os três imponentes salões do Museu de Belas Artes, que evocam as características estilísticas arquitetónicas mais importantes, estão novamente abertos ao público. Para além do Renascimento e do Salão Românico, inaugurado em 2018 graças a uma reconstrução abrangente, o recentemente renovado Salão Barroco, que cobre quase 800 metros quadrados, está agora aberto ao público. A última vez que os três grandes espaços museológicos foram abertos simultaneamente foi há 80 anos.

O recentemente inaugurado Salão Barroco é o resultado de uma extensa renovação e modernização do edifício do museu. A fase final da reconstrução do edifício assistiu à abertura dos espaços de exposição do século XVII da Galeria Velha no final do ano passado e dos espaços de exposição do século XVIII da Galeria Velha na Primavera.

O espaço museológico recentemente aberto apresenta cerca de 40 esculturas e relevos relacionados com o estilo arquitetónico do salão, incluindo pequenos bronzes de fundições italianas e esculturas de mármore e madeira de mestres venezianos. A par das esculturas, existem também cerca de 30 pinturas das coleções italianas, espanholas e alemãs de renome internacional. Estas obras darão aos visitantes uma ideia da diversidade estilística e da riqueza temática da pintura barroca.

Os três grandes espaços museológicos foram abertos pela última vez simultaneamente há 80 anos. Depois, durante o cerco de Budapeste na Segunda Guerra Mundial, o Salão romeno foi danificado, fechado e mais tarde utilizado como armazém. Foi apenas em 2018 que foi aberto ao público, mas nos últimos anos o Salão Barroco, que está atualmente a ser renovado, foi fechado ao público.

A renovação e modernização das Belas Artes, iniciada em 2015, foi reconhecida em 2020 com o Prémio Europa Nostra, o prémio mais prestigioso da Europa para o restauro de monumentos históricos.

A decoração interior do Salão Barroco foi também planeada para ter uma pintura decorativa semelhante à dos salões românicos e renascentistas. Isto não aconteceu no final. Apenas a decoração em estuque dourado foi concluída e a aquisição de réplicas das esculturas barrocas não foi levada a cabo. Assim, o espaço não foi inicialmente utilizado como um espaço de exposição, mas como um armazém para cópias em gesso e esculturas modernas.

Após a Segunda Guerra Mundial, foi realizada uma exposição de esculturas dos séculos XIX e XX na parte central do salão. O corredor circular atrás dos pilares, separado por um ecrã, foi utilizado para armazenamento e como passadiço. O espaço, que nas décadas seguintes foi novamente utilizado como armazém, foi aberto em 2000, após uma pequena reconstrução do museu, que começou em 1987 e foi mobilado com pinturas e esculturas barrocas originais.

Foi novamente renovado em 2015, como parte da extensa reconstrução do museu. O salão recentemente aberto alberga também uma exposição reordenada de pinturas e esculturas barrocas.

 

Fotos: Museu de Belas Artes

Original aqui

Também poderá gostar de