Hungria: inflação de 3,9% é a maior da União Europeia

por LMn

Segundo os dados mais recentes publicados pelo Eurostat, em julho a inflação na Hungria atingiu os 3,9%, a mais elevada da UE. Seguem-se a Polónia com 3,7% e a República Checa com 3,6%. Portugal está com inflação “negativa” de -0,1%, a oitava mais baixa da União Europeia.

A taxa de inflação anual da zona euro avançou de 0,3% para 0,4% em julho, comparado com 1% do período homólogo transato, anunciou hoje o Eurostat.

Na União Europeia a 27, a inflação evoluiu de 0,8% em junho para 0,9% em julho, longe dos 1,4% de igual mês de 2019, adiantou ainda o gabinete estatístico da UE.

Na comparação em cadeia, face a junho, a taxa de inflação anual caiu em 10 Estados-membros da União, manteve-se estável em três e aumentou nos restantes 14.

Portugal, ao registar uma taxa de inflação anual de -0,1% em julho, ficou situado em oitavo lugar na lista da UE por taxas mais baixas, encimada com a Grécia, que no mesmo mês registou uma inflação de -2,1%.

O Eurostat situa a taxa de inflação anual da Alemanha nuns redondos 0,0% em julho, mas confirma a queda de 0,5% na taxa mensal no mesmo mês, o que, já tinha situado a agência estatística mensal alemã na semana passada, terá sido a primeira queda em quatro anos.

No mês em análise, “a maior contribuição para a taxa de inflação anual da zona euro teve origem em bens industriais não energéticos e serviços (ambos com mais 0,42 pontos percentuais), seguidos da alimentação, álcool e tabaco (mais 0,38 pontos percentuais) e energia (menos 0,83 pontos percentuais)”, explica ainda o Eurostat.

 

Imagem: Unsplash

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade