Hungria: Vida regressará ao normal no início do verão, diz governo

por LMn | MTI

Todos os húngaros com mais de 18 anos terão recebido pelo menos a primeira dose da vacina do coronavírus até ao final de maio, e a vida pode voltar ao normal no final de maio ou início de junho, o mais tardar, disse Gergely Gulyás, ministro-chefe de gabinete do primeiro-ministro.

Numa entrevista publicada pelo semanário Figyelő nesta quinta-feira, Gulyás disse que 60-75% dos húngaros teriam de ser vacinados para alcançar a imunidade de grupo. Até agora, mais de 4,1 milhões dos 8 milhões de adultos húngaros já se registaram para a vacinação, disse ele.

Comentando uma declaração da Câmara dos Médicos húngara de que a reabertura antecipada não era “profissionalmente justificada”, Gulyás disse “embora a nossa relação com a Câmara tenha sido um pouco agitada nos últimos tempos, concordamos que as restrições só podem ser levantadas cuidadosa e gradualmente”. As decisões sobre os eventos de verão ainda não foram tomadas, acrescentou.

Em resposta a um aviso do sindicato de professores de que uma reabertura antes de tempo poderia levar a uma quarta vaga da pandemia, Gulyás disse que “à luz das experiências recentes, o sindicato deveria ser visto como uma força política de oposição” trabalhando “como um instrumento de propaganda da oposição em vez de representar os interesses dos professores”

Relativamente ao fundo de recuperação pós-pandémico da UE e ao seu próximo orçamento de sete anos, Gulyás disse que os dois recursos trariam um total de 15.000 mil milhões de forints (42 mil milhões de euros) para a Hungria, a maior soma alguma vez recebida.

O fundo de recuperação irá aumentar a Hungria em 6.000 mil milhões de forints durante um período de cinco anos, enquanto que o quadro financeiro da UE para 2021-2027 irá fornecer 9.000 mil milhões durante esse período, disse.

Cerca de dois terços dessas verbas irão para desenvolvimentos nos cuidados de saúde, infra-estruturas e ensino superior, disse Gulyás. As universidades receberão financiamento independentemente de assinarem ou não o programa de reorganização do governo, afirmou.

Os desenvolvimentos nos cuidados de saúde concentrar-se-ão no desenvolvimento dos hospitais de Budapeste, uma vez que “os hospitais fora de Budapeste estão geralmente em melhor estado”, e na aquisição de equipamento de diagnóstico e outros equipamentos hospitalares.

Em relação às infra-estruturas, a prioridade da UE está agora no financiamento das vias férreas e não das construções rodoviárias, disse ele.

Relativamente às eleições gerais do próximo ano, Gulyás disse esperar uma “campanha para além, ou melhor, para além de tudo o que já vimos antes”, que conduza à votação. “A cooperação da oposição reuniu todos os actores desonrados e incompetentes da extrema esquerda até a extrema direita, mantidos unidos apenas pelo seu ódio ao governo”.

Os eleitores decidirão quantos votos podem ser recolhidos através da luta contra o ódio, acrescentou. “O nosso interesse é que os eleitores avaliem o trabalho real do governo, e o desenvolvimento do país na última década, apesar das enormes dificuldades”, disse ele.

 

Fonte: MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade