Hungria: Política de abertura a Oriente – Uzbequistão

por LMn | MTI

O elevado nível de cooperação económica e comercial entre a Hungria e o Uzbequistão é um excelente exemplo da correta decisão da Hungria de lançar a política de abertura ao Oriente, disse Péter Szijjártó, Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comércio da Hungria, ao MTI antes da sessão de fundação do Conselho Empresarial Húngaro-Uzbeque.

Embora a economia mundial e o comércio global tenham sofrido uma quebra no ano passado, o comércio com o Uzbequistão aumentou a uma taxa sem precedentes de 38%, ultrapassando 115 milhões de dólares, afirmou.

Estão em curso preparativos para um grande projecto conjunto envolvendo a utilização do “sistema de refrigeração seca indirecta Heller-Forgo” da Hungria numa central nuclear que está a ser construída no Uzbequistão, disse Szijjártó. A concretizar-se o projecto iria aumentar as exportações húngaras para mais de 200 milhões de euros, acrescentou.

A Hungria lançará em breve 4 projectos de investimento na indústria agrícola e alimentar num total de 150 milhões de dólares para a produção de óleo vegetal e alimentos para animais, e para a melhoria da criação de gado no Uzbequistão, disse.

Desde que o Uzbequistão flexibilizou as regras para o registo de medicamentos húngaros, as vendas farmacêuticas húngaras no país ascendem a 60-70 milhões de dólares por ano, disse o ministro, acrescentando que empresa húngara Richter apareceu no Uzbequistão há 25 anos, tornando-se o 13º maior player no mercado local.

O conselho empresarial húngaro-Usbeque é composto por 27 empresas húngaras e 58 uzbeques.

Ao dirigir-se à sessão fundadora, Szijjártó especificou 5 condições-chave para uma cooperação bem sucedida.

Primeiro, mencionou relações políticas sólidas que preparam o caminho para laços comerciais desimpedidos, com a assinatura de um acordo sobre uma parceria estratégica entre os 2 países nesta terça-feira.

A segunda condição é a presença física, disse, observando que a Hungria abriu uma embaixada em Tashkent há quatro anos.

Em terceiro lugar, Szijjártó sublinhou a importância dos contactos pessoais. A Hungria aumentou o número de bolsas de estudo concedidas a estudantes uzbeques de 30 para 100. O ministro observou também que o Uzbequistão tinha sido o primeiro país a enviar um carregamento de 650 mil máscaras para a Hungria durante a primeira vaga da epidemia do coronavírus.

A quarta condição mencionada por Szijjártó é o sólido contexto financeiro. O Eximbank húngaro abriu uma linha de crédito de 100 milhões de dólares para impulsionar o comércio entre a Hungria e o Usbequistão, as joint-ventures e a cooperação em terceiros mercados.

Como quinta condição, o ministro mencionou projectos emblemáticos, centrados na investigação e desenvolvimento na agricultura.

 

Fonte: MTI

Crédito da foto:MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade