Hungria: O que é a Trilha Azul Nacional? (Parte I)

por Arnaldo Rivotti
image_pdfimage_print

Atualmente, não há praticamente nenhum caminhante que não tenha ouvido falar da lendária Trilha Azul da Hungria.

Os percursos pedestres mais famosos do país oferecem oportunidades inigualáveis para os amantes da descoberta, famílias em excursões e todos os fãs da natureza e das caminhadas. Cabe a cada um decidir para onde os leva o caminho, mas não há dúvida de que os quilómetros percorridos podem ser uma experiência transformadora, abrindo-o à natureza e enriquecendo a sua visão.

A Trilha Azul Nacional é o mais longo percurso sinalizado do país, com uma história que remonta à década de 1930. Para a Associação Húngara de Caminhadas na Natureza, 1961 é um marco significativo, uma vez que é a partir desse ano que a Associação mantém e organiza este movimento comunitário de caminhadas com distintivo.

A Trilha Azul não é apenas o Percurso Azul Nacional pelas paisagens do norte da Hungria. Embora seja a mais popular devido à sua longa história, existe também o Rota Circular Azul Rockenbauer Pál da região Transdanubiana do Sul e a Rota Circular Azul das Terras Baixas. Os três juntos são chamados de Trilha Azul Nacional.

Atualmente, os percursos pedestres azuis têm uma popularidade sem precedentes. Mais de 15 000 pessoas percorrem o Trilho Azul todos os anos e, em janeiro de 2021, um total de 10041 pessoas tinha completado os três famosos percursos. O caminhante azul mais jovem tinha 7 anos de idade, o mais velho 95.

A Országos Kéktúra Magyarország (OKT) ou National Blue Trail começa a partir da fronteira com a Áustria no cume da montanha Írottkő, cruza a Hungria, e termina junto da fronteira eslovaca na aldeia de Hollóháza.

O nome do trilho deriva da sua sinalética – uma faixa horizontal azul entre duas faixas brancas. Tem 1.128,2 km de comprimento, e passa pela Gruta de Aggtelek, vulcões latentes, a antiga aldeia de Hollókő, etc. Além disso, a trilha azul passa também por Budapeste. No total, há 147 pontos de checkpoints com selos únicos em árvores ou caixas de metal para guiar os caminhantes.

Caso não queira cumprir todas as etapas do caminho, há rotas mais curtas e até mesmo um percurso para crianças que tem 300 km de extensão. O fim de agosto e setembro é o melhor momento para caminhadas na Hungria devido ao clima temperado.

Fontes consultadas: https://www.kektura.hu/ e https://rove.me/

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade