Hungria: Governo não adoptou “medidas de manual”, disse Péter Szijjártó

por LMn | MTI

As medidas tomadas pelo governo húngaro para enfrentar os impactos da pandemia do coronavírus na saúde e na economia revelaram-se eficazes, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio nesta segunda-feira.

Péter Szijjártó disse que o governo “não tinha adoptado a abordagem de manual; queria mais do que as compras de vacinas da UE e não tinha como objectivo compensar o desemprego crescente através da concessão de subsídios”.

Em vez disso, o governo lançou um programa para promover o investimento e prevenir o desemprego em massa através da ligação e apoio direto às empresas para a manutenção do emprego.

Szijjártó insistiu que “se tivéssemos aplicado as respostas esquerdistas e manuais escolares forçados por Bruxelas, teríamos agora muitos mais milhares de mortos, muitas mais dezenas de milhares de infectados, e muitas centenas de milhares sem emprego”.

Actualmente, a Hungria está a ter a pior taxa de mortalidade do mundo (em comparação com a população) e tornou-se o país com a segunda pior taxa de mortalidade de coronavírus do mundo depois da República Checa

 

Fonte: MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade