Hungria: Governo apoiou 1,5 milhões de empregos no ano passado

por LMn

Cerca de 1,5 milhões de empregados e 280 mil empregadores receberam apoio governamental no ano passado, disse Sándor Bodó, secretário de estado do Ministério da Inovação e Tecnologia (ITM), numa entrevista à revista Demokrata.

Na entrevista publicada nesta quarta-feira, o secretário de estado disse que o apoio foi a principal razão pela qual o número de candidatos a emprego, em 2020 ficou abaixo dos 300 mil, ou seja, entre as taxas mais baixas de desemprego na Europa – face à epidemia de Covid. Bodó insistiu que a Hungria esteve entre os países mais bem sucedidos na gestão da crise ao lado da Alemanha, Polónia, República Checa e Malta.

Após um primeiro aumento do desemprego no final da Primavera, houve uma recuperação constante desde o final do Verão, disse ele, e em Dezembro o número de pessoas empregadas era novemente 4,5 milhões.

Bodó disse que os investimentos públicos, principalmente na construção, no valor de 3.000 mil milhões de forints (8,4 mil milhões de euros) previstos para este ano estavam a ser feitos num sector altamente reactivo que poderia criar empregos instantaneamente.

No que diz respeito a investimentos em I & D, seriam vistos retornos múltiplos num futuro próximo, disse, referindo-se a um subsídio salarial para engenheiros de desenvolvimento, investigadores e especialistas em TI relançado em Janeiro. O relançamento da economia exigiu profissionais de alto valor acrescentado e criativos, acrescentou.

Sandor odó disse que enquanto os governos de esquerda do passado tinham aumentado os impostos e apertado as despesas em tempos de crise, o governo Fidesz, no poder, colocou a ênfase na preservação de empregos e na concentração na recuperação económica e os resultados estão à vista.

Fonte: MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade