Hungria – Eurostat: Húngaros são dos mais mal pagos da UE

por LMn

Existem enormes diferenças no custo da mão-de-obra em alguns Estados-Membros da União Europeia. Além disso, esta diferença está a crescer ano após ano. Normalmente, as pessoas nos países ocidentais, são muito mais bem pagas pelo trabalho do que nos nos países orientais.

O portal húngaro pénzcentrum.hu publicou recentemente um artigo com base nos dados da Eurostat referentes ao ano passado. Assim, na UE, o salário médio por hora era de 28,5 euros em 2020. A este respeito, o último lugar vai para a Bulgária, onde se paga em média 6,56 euros por hora de trabalho, escreve o portal.  Segue-se a Roménia com 8,1 euros por hora de trabalho. Infelizmente, em comparação com o ano anterior, a Hungria também se deteriorou e terminou como o terceiro pior lugar. Na Hungria, o trabalho médio por hora rende-lhe 9,9 euros.

No ano passado, a Hungria foi o quarto pior, juntamente com a Letónia. Entre os vizinhos da Hungria, a Áustria tem a melhor posição, em média um trabalhador austriaco por hora ganha 36,7 euros. Isto é quase quatro vezes o valor da Hungria. Além disso, a Eslováquia (13,4 euros), Eslovénia (19,9 euros), e Croácia (10,8 euros) estão à frente da Hungria.

A Dinamarca, Luxemburgo, Bélgica, Islândia, e França estão no topo da lista. Entre estes, ganham em média mais de 40 euros por hora. A mão-de-obra dinamarquesa é a líder, com 45,8 euros por hora, o que é mais de quatro vezes o valor da Hungria. O Eurostat examinou os custos totais da mão-de-obra.

Assim, o salário horário inclui também os salários dos trabalhadores, bónus, refeições, e outros benefícios. Além disso, a formação e o vestuário de trabalho do trabalhador também estão incluídos. Além disso, as estatísticas também têm em conta as baixas por doença, o dinheiro da gasolina e o café gratuito no escritório.

O inquérito do Eurostat examinou todos os sectores da economia, excepto a agricultura e a administração pública. Além disso, não contou com as pequenas empresas com menos de 10 empregados.

Fonte: pénzcentrum.hu/Daily News Hungary

 

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade