Hungria: Em dez anos os salários duplicaram

por LMn

O Instituto Central de Estatisticas da Hungria (KSH) acaba de publicar os dados dos salários (iliquidos) auferidos em maio deste ano e que foram comparados com os salários de há 10 anos, em maio de 2010, década aliás que coincide com o período dos governos liderados pelo Primeiro Ministro Viktor Orbán.

Em maio de 2010, os assalariados húngaros ganhavam em média de 198.000 HUF (ilíquidos) e atualmente aquele valor duplicou tendo passado para 398.000 HUF. (Atualmente 1 euro = 350 forints).

Os trabalhadores que saíram mais beneficiados na última década são os que trabalham na área de saúde, administração pública ou nos setores da energia – eletricidade, gás e serviços complementares, como por exemplo aquecimento ar condicionado, em que ganham de 2,3 – 2,4 vezes mais do que há dez anos.

Quanto ao ensino, se se analisar com mais pormenor, um professor da escola primária ganhou 315 mil HUF brutos em maio deste ano, 334 mil os professores nas escolas secundárias e 471 mil os que ensinam no ensino superior.

Os assalariados que levam menos salário para casa são os que trabalham na assistência social (196 mil HUF brutos), seguidos em ordem crescente por aqueles que prestam serviços de acomodação, hospitalidade (249 mil HUF) e aqueles que trabalham na agricultura, silvicultura e pesca (309 mil HUF).

 

Nota: Resumo com base no artigo (3.8.2020) de Dávid Molnár, editor do portal de notícias 24.hu

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade