Hungria: Certificado de vacinação omite tipo de vacina

por LMn | MTI

O próximo certificado de vacinação húngaro não indicará o tipo da vacina dada, de acordo com uma emenda ao decreto governamental emitido na noite do sábado passado. O novo regulamento altera um decreto emitido em 12 de Fevereiro, retirando do texto as palavras “tipo de vacina”.

O motivo da alteração não é indicado, mas está muito provavelmente ligado ao facto de a Hungria ser  o único país da UE que até agora autorizou o uso das vacinas russa Sputnik V e chinesa Sinopharm.

Embora uma autorização oficial para aqueles que foram vacinados possam  viajar livremente dentro da UE, na última cimeira, tenha estado no centro das discussões entre os líderes da UE, ainda não é claro como e quando poderia haver decisão e as regras a implementar.

De referir que a  Polónia já anunciou que não reconhecerá qualquer vacina sem a aprovação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), e os inoculados com estas vacinas terão de ser submetidos a uma quarentena de 14 dias semelhante às dos que não foram vacinados.

Existem apenas três vacinas atualmente aprovadas na UE, produzidas pela Pfizer-BioNTech, AstraZeneca, e Moderna.

O governo de Orbán anunciou que em breve exigirá certificados de imunidade para todas as pessoas que tenham recuperado ou sido inoculadas contra o coronavírus.

Entretanto, os partidos da oposição criticaram o governo pela alteração do regulamento, afirmando que a maioria dos países europeus concorda que só aceitarão vacinas licenciadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), e assim, os húngaros que viagem ao estrangeiro poderão ter que enfrentar severas restrições. O eurodeputado socialista István Ujhelyi afirmou que os húngaros inoculados com vacinas aprovadas pela EMA também serão afetados pela omissão do tipo de vacina

Fonte: MTI/LMN

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade