Hungria: Budapeste recorda os ciganos que ajudaram os húngaros do pogrom em 1990

por LMn | MTI

De acordo com uma proposta do presidente da câmara de Budapeste publicada nesta sexta-feira, uma rua ou praça em Budapeste  vai receber o nome de Béla Puczi, líder de um grupo de ciganos que protegeu húngaros da minoria étnica durante o pogrom anti-húngaro em Marosvásárhely (Târgu Mureș) em 1990.

Gergely Karácsony disse no Facebook que a ideia tinha vindo de várias organizações ciganas. O presidente da câmara disse que “quando os poderes governantes procuram dividir um país, isso conduz sempre a actos e ramificações terríveis”. “Temos de aprender a lição dos erros cometidos no passado, enfrentando esses erros”, acrescentou.

Referindo-se aos acontecimentos de 1990, Karácsony disse que cerca de 10.000 húngaros étnicos se reuniram para uma manifestação pacífica no centro de Marosvásárhely no dia 20 de março, depois de uma multidão ter atacado a sede do partido étnico húngaro RMDSZ e espancado brutalmente vários húngaros, incluindo o conhecido escritor András Sütő, no dia anterior. Os manifestantes estavam novamente a ser ameaçados por grupos violentos, quando o povo de Puczi apareceu a cantar o slogan “Húngaros, não se preocupem, aí vêm os Ciganos”.

Puczi foi detido e mantido na prisão durante vários meses. Depois fugiu para a Hungria de perseguição pela polícia romena. Morreu pobre em Budapeste, em 2009.

Fonte: MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade