Hungria: As Olimpíadas e os prémios monetários

por LMn

Uma medalha de ouro húngara vale quatro vezes mais do que uma americana, mas os suecos não pagam nada – quanto é que se ganha por ganhar?

A medalha de ouro olímpica valerá 50 milhões de forints em vez dos 35 milhões anteriores, mas o prémio monetário para outros lugares também foi aumentado. De acordo com um inquérito da Swimswam, a Hungria é agora o nono país que melhor reconhece os sucessos olímpicos.

Em Dezembro último, o governo húngaro assinou o novo prémio monetário da competição e aumentou os bónus estatais para os campeões e medalhistas olímpicos.

Os prémios do concurso para os Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno:

  • Medalha de ouro 50 milhões de forints
  • Medalha de prata 35,7 milhões forints
  • Medalha de bronze 28,5 milhões forints
  • Quarto classificado, 21,5 milhões forints.

Até ao oitavo lugar, os atletas húngaros serão também recompensados, sendo o oitavo honorado com um prémio de 2,8 milhões de HUF.

O aumento é significativo, com a medalha de ouro a receber até agora 35 milhões de forints, 25 milhões de forints para a medalha de prata e 20 milhões de forints para a medalha de bronze.

Os atletas paraolímpicos receberão também uma lista de prémios separada para os jogos de Verão e de Inverno, com os melhores atletas a receberem 17,5 milhões de forints.

A medalha de ouro húngara vale quatro vezes mais do que a medalha de ouro americana.

Os Jogos Olímpicos, que começaram como uma competição amadora, nem sempre são vistos como um grande prémio em dinheiro para os medalhados.  O Reino Unido, a Noruega e a Suécia não pagam nada pela glória. Singapura está no outro extremo, com um prémio de 756.000 dólares americanos (cerca de 227 milhões de forints) para os melhores. A Indonésia é a segunda mais generosa (744.000 dólares), enquanto Hong Kong é a terceira (644.000 dólares).

 

Fonte: Forbes.hu

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade