Hungria: A indústria farmacêutica duplicou o seu desempenho em dez anos

por LMn | MTI
image_pdfimage_print

O Governo continua a fazer tudo o que está ao seu alcance para garantir a competitividade internacional da indústria farmacêutica húngara, sendo um dos resultados o facto de o desempenho do setor ter duplicado em dez anos, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio, Péter Szijjártó, em Budapeste, na sexta-feira – relata o MTI.

No anúncio do investimento da Novartis, o Ministério disse que a empresa farmacêutica suíça vai estabelecer um novo centro regional de investigação e desenvolvimento em Budapeste, a partir do qual coordenará os seus projetos de investigação na Europa do Sul e em África. O desenvolvimento aumentará o número de efetivos de I&D em 25 por cento.

Este investimento será uma vitória para o país; uma vitória para a economia, uma vez que o valor acrescentado continuará a aumentar e uma vitória para os doentes que terão a oportunidade de participar nos programas de investigação clínica da Novartis, afirmou.

Acrescentou ainda que a empresa, que emprega mais de 400 pessoas na Hungria, tem atualmente 65 ensaios clínicos a decorrer na Hungria, tendo dezenas de milhares de húngaros participado nesses programas nos últimos dez anos.

Szijjártó sublinhou que o mundo está a viver numa era de crises e perigos, e a humanidade está também a enfrentar sérios desafios no domínio da saúde, com uma séria corrida entre a comunidade científica e os vírus.

A experiência dos últimos anos mostra claramente que o êxito da resposta de um país às epidemias e aos desafios no domínio da saúde é largamente determinado pela sua capacidade farmacêutica – afirmou.

A Hungria está classificada em 20º lugar no mundo em termos de exportações de produtos farmacêuticos, mas apenas em 95º lugar em termos de população. No ano passado, o valor do comércio bilateral entre a Hungria e a Suíça ultrapassou os dois mil milhões de euros, um novo recorde, após um aumento de 13%.

Cerca de 900 empresas suíças estão atualmente a operar na Hungria, empregando mais de 30.000 pessoas, disse ele.

 

Fonte: MTI via HungaryToday

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade