Hidvéghi: Bruxelas continuará a exercer pressão sobre a lei de proteção da criança

por LMn | MTI

Budapeste,  (MTI) – Bruxelas continuará a pressionar a Hungria sobre a Lei de Proteção da Criança, disse Balázs Hidvéghi, MPE Fidesz, num vídeo publicado na sua página do Facebook na quarta-feira.

O político disse ser claro que desde a adoção da Lei de Proteção da Criança, Bruxelas e a rede Soros encontraram outra desculpa para atacar a Hungria.

Parte disto é a chegada a Budapeste de uma delegação da Comissão LIBE (Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos) do Parlamento Europeu, “cheia de pessoas da esquerda europeia que estão constantemente a escrever notícias falsas e desonestas sobre nós” e que lançaram uma ação judicial e uma campanha de imprensa contra a Hungria.

Falam de democracia e do Estado de direito, mas na realidade todos sabem do que estão a falar: “estão a atacar-nos porque querem que deixemos os ativistas LGBTQ entrar em jardins de infância e escolas, e que deixemos os migrantes entrar no país, para os colonizar”, disse Balázs Hidvéghi.

Disse que os jogadores habituais estavam alinhados para o ataque atual: a esquerda em Bruxelas, representantes da rede Soros e a esquerda húngara liderada por Gyurcsány.

O Fidesz-KDNP sempre fez o que o povo húngaro queria e continuará a fazer. O povo húngaro deixou claro em várias ocasiões, inclusive na última consulta nacional, que não quer propaganda LGBTQ nas escolas e jardins de infância, e não quer a fixação forçada de imigrantes no país.

“Afirmaremos a vontade do povo húngaro e defendê-los-emos”, disse, acrescentando que estão sozinhos na política húngara ao fazê-lo.

Se Gyurcsány e a esquerda chegassem ao poder, cumpririam as exigências de Bruxelas, uma após a outra, “reassentariam migrantes e deixariam os ativistas LGBTQ fazer o seu caminho com as crianças”, disse Balázs Hidvéghi.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade