Guiné-Bissau e três países vizinhos vão cooperar para sustentabilidade de águas subterrâneas

por LMn | Lusa

Quatro países africanos, entre os quais a Guiné-Bissau, comprometeram-se hoje a cooperar na gestão sustentável das suas águas subterrâneas, destacando a vontade de as tornarem numa “fundação para a estabilidade regional”.

Os ministros responsáveis pela água de Guiné-Bissau, Gâmbia, Mauritânia e Senegal acordaram hoje, em Genebra, estabelecer um “quadro jurídico e institucional de cooperação transfronteiriça para a gestão sustentável” do aquífero senegalo-mauritano, uma reserva de águas subterrâneas da qual dependem 80% dos seus habitantes.

A informação foi noticiada pela agência France-Presse (AFP), que cita uma declaração da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa.

Numa declaração conjunta publicada no final de uma mesa-redonda iniciada na terça-feira, os quatro Estados decidiram lançar um processo de negociação para definir o quadro jurídico e institucional, tendo em conta os quadros existentes da Organização para o Desenvolvimento do Rio Senegal e da Organização para o Desenvolvimento do Rio Gâmbia.

De acordo com a mesma fonte, os governantes comprometeram-se a “fazer avançar as reformas, leis e regulamentos nacionais do setor da água e a reforçar a sua implementação” a nível nacional.

O aquífero senegalo-mauritano estende-se por cerca de 1.300 quilómetros desde o sudeste da Mauritânia até ao sudeste da Guiné-Bissau, atravessando Gâmbia e Senegal.

Com uma área de 331.450 quilómetros quadrados, este aquífero comporta uma população estimada de mais de 15 milhões de habitantes.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade