Galp e Northvolt estimam investimento de 700 ME em fábrica de conversão de lítio em Portugal

por LMn | Lusa

A Galp e a sueca Northvolt preveem investir 700 milhões de euros e criar 1.500 empregos diretos e indiretos na fábrica de conversão de lítio que vão desenvolver em parceria em Portugal, foi hoje anunciado.

“A decisão final de investimento ainda não ocorreu, mas a JV [‘joint venture’] prevê que as operações iniciem até ao final de 2025 e que as operações comerciais tenham início em 2026”, referem as empresas num comunicado conjunto enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo avançam, “com base em projetos semelhantes, a instalação poderá representar um investimento estimado de cerca de 700 milhões de euros e criar 1.500 empregos diretos e indiretos”.

Denominada Aurora e com uma participação de 50/50 da Galp e dos suecos da Northvolt, a ‘joint venture’ está atualmente “a realizar estudos técnicos e económicos e a analisar várias localizações possíveis para a unidade” em Portugal.

Está também “a explorar as opções adequadas de financiamento no âmbito da transição energética, de modo a reforçar o desenvolvimento do projeto”.

O objetivo é desenvolver a “maior e mais sustentável fábrica de conversão de lítio da Europa, […] com uma capacidade de produção anual de até 35.000 toneladas de hidróxido de lítio”, lê-se no comunicado.

Durante a apresentação pública do projeto, que decorre hoje, em Lisboa, o presidente executivo da Galp, Andy Brown, considerou tratar-se de um “momento significativo” para a empresa e para o país.

“É um momento significativo para a Galp e para o país, o lançamento de uma iniciativa na cadeia de valor das baterias, que está a crescer exponencialmente”, afirmou Andy Brown.

Este responsável disse ainda que a petrolífera quer contribuir para a “geração de valor”, destacando que grande parte do capital da Galp é gasto em energia renováveis não poluentes.

Em novembro, o presidente executivo da Galp tinha dito à Lusa estar para breve o anúncio sobre a composição de um consórcio para a indústria do lítio, cujo projeto já tinha sido submetido no quadro do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), tendo então referido que a parceria será “o mais viável e potente em termos de combinação de empresas para tornar isto uma realidade”.

As ações da Galp seguem a subir 1,88% para 8,35 euros.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade