Filmagens da prequela de “Guerra dos Tronos” já arrancaram em Monsanto

por LMn

Monsanto deixou de ser silencioso para receber uma equipa de quase 200 pessoas para as filmagens de “House of the Dragon”. Os trabalhos deverão durar, pelo menos, até 3 de novembro

A gigante de streaming HBO escolheu as casas graníticas e o castelo medieval da aldeia histórica de Monsanto como cenário das filmagens em Portugal da prequela da série “Guerra dos Tronos”. Os trabalhos que antecedem os dias de filmagens de “House of the Dragon”, que decorrem entre os dias 26 e 30, arrancaram esta segunda-feira e devem prolongar-se pelo menos até 3 de novembro. Entre acessos cortados, transporte de material em tratores e helicóptero e acordos de confidencialidade, os locais agarram-se ao turismo numa aldeia que trocou a calma pelo rebuliço.

O estádio de futebol de Penha Garcia, que fica a cerca de 10 quilómetros de Monsanto, é o fiel depositário do material que veio de Cáceres, em Espanha, onde é a base de operações europeia para as filmagens da série. O espaço desportivo serve assim de armazém, com a ajuda de um helicóptero da Força Aérea portuguesa com para-quedistas que fazem o transporte do material.

Esse transporte, segundo relatos do Jornal de Notícias que esteve no local, sai dificultado devido à própria geografia da aldeia, que tem ruas estreitas e acessos difíceis ao próprio castelo onde vão decorrer grande parte das filmagens, sendo que são tratores que ajudam a levar equipamento para o set.

A junta de freguesia de Monsanto também disponibilizou o forno comunitário da aldeia e outras duas salas para assistir a produção da série, assim como a Misericórdia cedeu espaços e estacionamento. No que diz respeito aos alojamentos da zona estão com reservas até aos dias finais das filmagens, muito por culpa das equipas destacadas para os trabalhos que ali vão decorrer.

Ao JN, a proprietária do alojamento Quinta da Pedra Grande, em Monsanto, Olga Figueira, admitiu que vai apressar a ampliação do seu espaço porque antevê um crescimento de turistas depois de a aldeia ser palco destas filmagens. Também no café central Monsantinho planeou aumentar as reservas de água e cerveja para os dias que trabalhos na aldeia beirã.

Numa publicação na sua página de Facebook, o município de Idanha-a-Nova já tinha dado conta, na passada semana, dos acessos condicionados com cortes de trânsito em três zonas distintas de Monsanto e Penha Garcia. O Largo 1º de Maio, em Penha Garcia, fica condicionado entre 25 de outubro e 2 de novembro.

Já na vila de Monsanto, ficam com acesso restrito o Largo do Baluarte (25 out-2 nov), o Largo da Misericórdia (18 ou-2 nov), o acesso ao próprio castelo (18 out-3 de nov) e o Largo da Relva (18 out- 3 nov).

Também o acesso ao Castelo de Monsanto, onde vão decorrer grande parte das filmagens dentro das respetiva muralhas, está interdito a residentes e visitantes da aldeia histórica de Monsanto desde segunda-feira e assim ficará até 13 de novembro. O município justifica a interdição como forma de “criar condições de logística e segurança para as equipas de trabalho na montagem de cenários e equipamentos”, pode ler-se na publicação.

A prequela, que recua cerca de 300 anos ao início da saga da Casa Targaryen — a Casa dos Dragões — foi idealizada por Ryan J. Condal e George R.R. Martin e terá 10 episódios com estreia marcada para 2022.

Até ao início do mês de outubro, a produtora da série ModExpoR esteve à procura de figurantes em Portugal para se juntarem ao elenco principal, somando agora, segundo o JN, cerca de 20 pessoas da zona de Idanha-a-Nova e mais alguns vindos de outras cidades.

Fonte: observador.pt

 

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade