Explore o “Taj Mahal” húngaro, uma homenagem arquitetónica ao amor em Székesfehérvár

por LMn

Com centenas de esculturas e pinturas feitas numa ampla variedade de estilos artísticos, o Castelo Bory é uma joia subestimada da arquitetura, a apenas uma hora de viagem de Budapeste.

O Castelo de Bory encontra-se no Vale de Maria perto de Székesfehérvár, “a cidade dos reis”, cerca de 60 km a sudoeste de Budapeste. É o trabalho do escultor Jenő Bory (1879–1959), um residente local que projetou e construiu o castelo ao longo de sua vida, como um projeto artístico de grande escala e uma homenagem ao seu amor pela sua esposa Ilona Komócsin.

Bory comprou o terreno em 1912, que na época abrigava um vinhedo e uma adega. Primeiro transformou-a numa casa de verão e estúdio de arte, mas foi só depois da Primeira Guerra Mundial que ele começou a construção do castelo.

As obras começaram em 1923 e duraram até a morte do artista – de gerente de construção a pedreiro, ele assumiu todas as funções durante a obra. Como escreve Sokszínű Vidék, o castelo até aparece no Livro de Recordes do Guinness como o maior castelo construído por uma única pessoa – embora ele tenha tido algumas mãos ajudando ao longo dos anos.

O marco é frequentemente referido como o “Taj Mahal” de Székesfehérvár, pois, da mesma forma que o prédio indiano, é também uma homenagem ao amor conjugal. O “apartamento de grandes dimensões” é um raro exemplo da arquitetura simbólica húngara. O castelo é uma mistura excêntrica de diferentes estilos arquitetónicos e é adornado com centenas de esculturas, fontes e pinturas de Bory e outros artistas.

Os belos jardins, também muito populares entre os fotógrafos, estão rodeados por românticos portões em arco e torres que revestem as paredes do castelo.

Fonte: DailyNews

Foto: www.facebook.com/Bory-vár-217718298279673

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade