Europa controlada por “Círculo estreito” – Eurodeputado do Fidesz

por LMn | MTI

O eurodeputado László Trócsányi, representante do partido Fidesz no poder na Hungria, rejeitou a acusação de anti-europeísmo do seu partido, e criticou a União Europeia por ser controlada por um “círculo estreito”, numa entrevista, na passada sexta-feira, ao semanário francês Le Point.

“O funcionamento das instituições europeias é bastante diferente do que podemos ler nos tratados ou nos livros”, disse ele ao semanário. Em princípio, todos os estados membros são iguais no Parlamento Europeu, mas “o verdadeiro poder é mantido por um círculo estreito” e as decisões são tomadas “à porta fechada”, acrescentou.

Trócsányi disse que os principais debates centram-se na “centralização” e na “subsidiariedade” na Europa. As instituições europeias acreditam que os estados membros são incapazes de resolver os seus problemas, e oferecem a centralização como uma panaceia, disse ele, acrescentando que o Tribunal Europeu de Justiça também parece dar prioridade à centralização sobre a subsidiariedade.

Espera-se que os estados membros reajam eficientemente sob regras de direito europeias que se revelem ineficientes, disse ele, trazendo a migração e a pandemia como exemplos. Trócsányi disse que o eurodeputado liberal belga Guy Verhofstadt, um defensor ferrenho da centralização, “já não fala de Estados, apenas de cidadãos europeus”.

O eurodeputado húngaro disse que os parlamentos nacionais e os estados membros, especialmente os da Europa Central, estão a ser postos de lado nas instituições europeias. Comparando a Europa com o Sacro Império Romano, Trócsányi disse que “as decisões são tomadas a nível central e a Europa central é vista como uma periferia que tem o dever de simplesmente implementá-las”.

“Gostaria de viver numa Europa que não tem centro, nem periferias e onde todos se podem sentir no centro”, disse ele. “Se aqueles que levantam questões forem rotulados como anti-europeus, mudar-nos-emos para uma espécie de totalitarismo suave. Mas eu não quero ver a União Europeia a desmembrar-se”.

Trócsányi disse que enquanto os sucessos económicos da Hungria não são questionados por ninguém, a União Europeia procura intervir na campanha eleitoral do país, bloqueando os fundos da UE destinados a apoiar a recuperação pós-pandémica da Hungria. “A Hungria está a ser punida porque não é considerada um bom estudante”, disse Trócsányi na entrevista.

Fonte: MTI

Crédito da foto: Szilárd Koszticsák/MTI

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade