Entre Lisboa e Budapeste – Fotografia de Bence Tövis e Poesia de Pedro Assis Coimbra

por Pedro Assis Coimbra

Partir é prolongar o coração

 

Sim! É finalmente aqui
entre o litoral e o nada
que o meu sonho se entrega
e eu repouso nos teus olhos.

Sim! É finalmente aqui
que as ilhas afinal de pedra
se fecham e eu regresso
ao vitral dos teus lábios.

Aqui! Pois há sempre uma porta
entreaberta e este mar
ponte infinita que nos leva
a algum sítio da tua mão.

Talvez às areias finas
de um peito azul macio.
Porque partir meu amor
partir é prolongar o coração.

In “Palavras do Fado” do livro “As Palavras que Ficaram”

https://pedroassiscoimbra.blogspot.com/

Ponte Megyeri, Budapeste por Bence Tövis

https://www.facebook.com/BudapestHungaryBlog

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade