Entre Lisboa e Budapeste – A Arte da Imagem e as Palavras da Poesia. Fotografia de Ildikó Kardos e Poema de Pedro Assis Coimbra

por Pedro Assis Coimbra

O Gato do Meu Fado

Despedia a minha cidade
antevendo o frio distante
e as sombras da próxima noite.
À entrada do Chocolate
ao sol o gato da casa
dormia serenamente.

Quem diria que sonhava
sofria perdidamente
com o seu único amor
interrompido bruscamente
em Santarém fado comum
por uma rua cruzada
em hora de má sorte.

Decifrava o meu coração
no calor dos teus olhos.
– Quando a escuridão
ao fechar a cidade onde estás
procura o teu sol interior
para de nós iluminar
e não te perderes na saudade.

Ainda tão jovem dizia
– São tão jovens os meus sonhos
que só agora começam.
Sonha sim, sonha comigo
gato das sete vidas
nas festas do nosso destino
e desta guitarra de amigo.

In “Palavras do Fado” do livro “As Palavras que ficaram”

https://pedroassiscoimbra.blogspot.com/

© Kardos Ildikó / 2020.március – Kardos Ildikó Photography

https://www.facebook.com/kardos.ildiko.photography

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade