Cozinha húngara com um toque de truques e reviravoltas criativas – Teyföl em Szentendre

por LMn
image_pdfimage_print

Por GÁBOR WÁGNER – Welovebudapest

Em maio deste ano, o mais recente restaurante de Szentendre, Teyföl, abriu as suas portas e, apesar de ser um restaurante, não é preciso vestir-se a rigor, não há código de vestuário, sentimo-nos como se estivéssemos em casa dos nossos amigos para uma refeição agradável. Servem pratos bem conhecidos da cozinha húngara – desde betätätésztalevest (uma sopa feita com massa de espelta) a borsófőzelék (uma sopa de ervilhas), panquecas de carne Hortobágy e pimentos recheados com tejbegríz (creme de farinha e leite) – e aqui está a diferença: nenhum deles é preparado da forma tradicional, mas quando se começa a comer, ainda se sente o sabor familiar e caseiro que se costumava sentir quando se era criança na cantina da escola, na cozinha do SZOT (um centro de treino militar húngaro) ou na cantina da empresa.

Apesar de o Teyföl ser um restaurante, é assim que se intitulam: Choque de Cultura Culinária. Por um lado, isto implica que estamos a receber os sabores da cozinha húngara, mas distorcidos à sua maneira, sem deixar de respeitar os sabores originais – não é por acaso que prometem “provocar as suas papilas gustativas” – e, por outro lado, implica também que o Teyföl não é um restaurante tradicional. Não há necessidade de se vestir a rigor e de ser disciplinado, porque toda a gente é recebida e tratada como um amigo, e o próprio cliente não sente qualquer diferença entre os seus anfitriões, sejam eles o proprietário, o chefe ou o empregado de mesa. Por outras palavras, o ambiente é de bar-restaurante, com uma cozinha acolhedora, confortável e espaçosa, gerida por um pequeno coletivo divertido e coeso de pessoas que pensam de igual maneira.

Foto: FB de Teyföl em Szentendre

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade