COVID-19. Agravamento da situação na Hungria

por LMn

Na Hungria, nos últimos dias, o número de novos infetados tem vindo a aumentar de forma exponencial, tendo sido nos 3 dias anteriores, sexta-feira, sábado e domingo, 459, 510 e 495, respetivamente. Hoje, segunda-feira, 7 de setembro, foi o “record absoluto” com 576 novos casos positivos.

De referir que o indicador R que define o grau de transmissibilidade de infeção Covid-19 encontra-se muito acima de 1 e é neste momento de 2,5-2,6.

Durante a ”onda da primavera”, a idade média dos infetados foi de 67 anos, agora na ”onda do outono” é de 26 anos, disse o chefe do departamento de epidemiologia do Centro Nacional de Saúde Pública (NNK) na manhã da passada sexta-feira no programa ”Aktuális” do canal público M1. O responsável acrescentou que, uma vez que as pessoas em risco que adoeceram na primavera, várias foram para o hospital e receberam tratamento, a pressão sobre o sistema de saúde era muito maior do que agora, é um aspeto muito positivo.

Finalmente de destacar que o Reitor da Universidade de Medicina de Budapeste (SOTE) no programa Heti Napló da ATV deste domingo afirmou, que o estudo representativo realizado pelas universidades de medicina da Hungria, mostrou que o número verdadeiro de casos, deve ser cerca de vinte vezes o número de casos de infeções oficialmente confirmadas, estimando-se em cerca de 100 mil o número real de infetados. O Reitor destacou que mais pessoas foram infetadas nos últimos 10 dias do que em toda a primeira fase da epidemia.

Fontes: Imprensa húngara

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade