Consumo médio de energia por alojamento cai em Portugal, mas despesa aumenta

por LMn | Lusa

 O consumo médio de energia por alojamento diminuiu, apesar de ter aumentado a despesa média global, segundo os resultados preliminares do Inquérito ao Consumo de Energia no Setor Doméstico (ICESD) realizado em 2020 pelo INE.

De acordo com o inquérito do Instituto Nacional de Estatística hoje divulgado, o consumo global de energia por alojamento foi de 1,146 tep, incluindo o consumo nos transportes (1,501 tep em 2010) e a despesa global com energia por alojamento foi de 1.925 euros, incluindo a despesa com combustíveis dos transportes (1.843 euros em 2010).

O INE, que precisa que os resultados preliminares permitiram uma atualização da informação e dos hábitos de consumo de energia nas habitações face à última edição do inquérito ocorrida em 2010, adianta que o consumo total de energia no setor doméstico foi de 4.895.423 tep em 2020, sendo que o consumo de energia nos veículos utilizados no transporte individual dos residentes no alojamento representou 45,6% do total (50,6% em 2010).

A eletricidade continua a ser a principal fonte de energia consumida no alojamento (46,4% contra 42,6% em 2010), seguida da biomassa que representou 18,4% do total (24,2% em 2010).

O consumo de gás natural teve um peso de 12,4%, contra 9,0% em 2010, refere ainda o INE.

A utilização de energia na cozinha continuou a ter o maior peso face aos outros tipos de utilização no alojamento, tendo passado para 34,8% em 2020, contra 39,1% em 2010.

Em relação às alterações nos hábitos de consumo de energia dos portugueses entre 2010 e 2020, o INE destaca que “a preponderância da eletricidade como principal fonte de energia consumida no alojamento continua a aumentar, mas de forma menos intensa que nos períodos anteriores a 2010” e que “a proporção do consumo de energia nos veículos no setor doméstico diminuiu face a 2010”.

“O consumo de biomassa continuou a decrescer, mantendo-se como a segunda principal fonte de energia”, afirma o INE, que adianta que “o gás natural ganhou importância e foi, em 2020, a terceira principal fonte de energia no setor doméstico em termos de consumo, ultrapassando o GPL garrafa”.

Outras das conclusões do ICESD 2020 é que “o consumo de energia solar térmica quase triplicou, apesar de manter um peso reduzido no total” e que “a utilização dos Sistemas Solares Térmicos aumentou no aquecimento de águas”.

“O gasóleo continuou a ser o principal combustível utilizado nos veículos, tendo-se reduzido o peso da gasolina” é outra das conclusões do ICESD 2020, afirma o INE.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade